SOBRE
Osvaldir Castro
Biólogo e Winemaker, ministrando cursos e palestras sobre Vinho (como hobby) e participando de várias confrarias onde, com os amigos, compartilha e troca informações referentes ao tema. Lema: como bom enófilo, Diante de decisões, tomo o vinho.

Uma degustação festiva

GE DIGITAL CAMERA

Confraria do Vinho de São José do Rio Preto realizou sua reunião festiva do mês de julho, tendo por local o Restaurante Flor de Sal. Presentes: Lorga, Achiles, Angelo, Horacio, Edilberto, Renato e Osvaldir. Uma excelente noitada enogastronômica, em que cada um escolheu um vinho para a degustação. Vamos aos vinhos,

De Martino, vinícola fundada em 1934, hoje na quarta geração, tem vinhedos por todo Chile, já que busca o lugar mais apropriado para cada variedade.  Tem vinhedos de Cabernet Sauvignon em Cachapoal , de Chardonnay  no vale de Limari, Cinsault e Moscatel no vale de Itata e Syrah em Choapa. E são deles os mais altos vinhedos chilenos, em Elqui, de onde vem Syrah e Petit Verdot. Em 2011 a De Martino, tendo à frente o enólogo Marcelo Retamal, começou a acabar com a padronização (colheita tardia para obter uvas muito maduras,açucaradas, muita madeira, muita levedura), em que os vinhos não têm identidade e todos se parecem. A mudança: nada de ácido tartárico (para dar acidez às uvas ultra maduras), nada de leveduras adquiridas em mercado, nada de barricas novas para os tintos,  leveduras nativas e foudres para os vinhos tops. A De Martino faz hoje vinhos de Novo Mundo no estilo Velho Mundo: vinho mais suave, magro, elegante, fino, fresco e gastronômico. Eleita a melhor vinícola do Chile, em 2011.

De Martino Quebrada Seca Chardonnay 2013 –  elaborado com 100% de Chardonnay, produzida no Valle Limari (vinhedo de Quebrada Seca, a apenas 19km do mar, recebendo diretamente os efeitos da fria corrente de Humboldt) , com passagem de 12 meses em barricas de carvalho francês Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é palha, com toques verdeais, com muito brilho e transparência. Os aromas marcantes são de frutas brancas (pêra, maçã verde), frutas tropicais, amanteigado, com notas tostadas e algo de mineral. Na boca mostra-se untuoso, com um toque de acidez marcante e intenso frescor. Um longo e agradável final onde o tostado se mostra. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 194,00, na Enoteca Decanter. Vinho do Lorga.

 

Susana Esteban começou a se interessar por vinhos aos 18 anos. Ganhou uma bolsa de estudo para fazer um estágio num país da União Europeia, e foi aí que escolheu Portugal e o Vale do Douro, especificamente. Em 2007, trocou o Douro pelo Alentejo e desde então trabalha  como consultora de diferentes produtores do Alentejo, nomeadamente Tiago Cabaço Wines, Herdade do Barrocal, Monte dos Cabaços e Monte da Raposinha. No final do ano 2009 Susana Esteban decidiu dar início ao seu projeto pessoal com o objetivo de fazer vinhos com um caráter diferente do Alentejo tradicional.  Em Portalegre encontrou uma vinha tradicional plantada numa zona muito mais fresca que o resto do território do Alentejo. Uma vinha misturada que reúne um conjunto alargado de castas tradicionais de produção baixíssima que acrescenta uma frescura e complexidade pouco habituais. Da combinação destas duas parcelas nasceu um vinho o“Procura”. Em 2012, depois de encontrar várias outras parcelas de vinha com características ideais para o seu projeto, decidiu elaborar o “Aventura”, um vinho sem madeira e com uma frescura e caráter acentuados. Além dos vinhos Alentejanos elaborados na sua adega, situada na vila de Mora Susana, Esteban estabeleceu em 2011 uma sociedade com a sua amiga e igualmente enóloga, Sandra Tavares, para elaborarem vinho em parceria. O primeiro fruto desta parceria tomou o nome “Crochet”, um vinho do Douro que é elaborado no Pinhão. Com início na colheita 2014 este foi acompanhado por um irmão alentejano, igualmente tinto, que se chama “Tricot”, produzido em Mora.

Aventura Tinto 2013 – elaborado com 40% Aragonês, 40% Touriga Nacional e 20% castas tradicionais, de vinhedos antigos, de Portalegre. Teor alcoólico de 13,4%. A coloração é de um rubi intenso com nuances violáceas. Os aromas mostram frutas vermelhas (framboesa, cereja,ameixa, cassis)e toques florais. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos suaves e bem integrados, acidez presente,  muito equilíbrio e elegante. Bom final com frutado se mostrando. Produção de 12.000 garrafas. Avaliação: 90/100 Pontos.  Preço: R$167,00, na Dom Castilho. Vinho do Horácio.

 

A Bodega San Pedro de Yacochuya está localizada em Cafayate, cerca de 190km da cidade de Salta, a 1.600m de altitude. Sua produção é praticamente toda voltada para a uva Malbec com algumas pequenas parcelas de Torrontés e Tannat. A bodega tem como sócio o famoso Michel Roland, que em 1998 foi convidado pela familia Etchart, para dar consultoria para a bodega em troca de uma participação societária. Ele aceitou e fez uma verdadeira transformação na forma de produzir vinhos por lá. A bodega é relativamente pequena e a cave armazena cerca de 300 barricas 100% francesas .O estilo dos vinho de Yacochuya reflete a marca degistrada de Roland – vinhos de muito corpo e estrutura provenientes das uvas de longa maturação debaixo do Sol impiedoso da região .Os vinhos são divididos em 3 linhas :Coquen, linha básica feita com uvas próprias e compradas de outros produtores, San Pedro linha intermediária, somente uvas próprias de vinhedos de cerca de 10 anos, e Yacochuya, top de linha, feitos apenas com vinhas próprias e com vinhedos de até 100 anos.

San Pedro de Yacochuya 2013 – elaborado com 93% Malbec e 7% Cabernet Sauvignon, com 12 meses em barril de carvalho. Teor Alcoólico de 15%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram jabuticaba, cereja negra, mírtilo, cassis e café com um leve toque de mineralidade. Na boca apresenta um bom corpo, repetindo as sensações do olfato, com taninos firmes e bem integrados. Acidez equilibrada. Longo final, com o toque mineral se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 206,00, na Grand Cru. Vinho do Osvaldir.

 

Desde 1996 Vito Catania vinifica as uvas que sempre foram produzidas pela família Catania na sua própria empresa agrícola, localizada em Chiaramonte Gulfi, na Província de Ragusa, na Sicilia. Hoje tem cerca de 70 hectares de vinhas nas melhores áreas do leste da Sicília. É referência em vinhos orgânicos e elabora seus vinhos focados na exposição de micro parcelas.

Gulfi Nerosanlore 2007 -  elaborado com 100%  de Nero d’Avola, em 2,5 hectares  da Vigna San Lorenzo – Val di Noto, de mais de 40 anos de idade, a uma altitude de 10 metros. Passou 24 meses em pequenas barricas de carvalho e 24 meses em garrafa antes da comercialização.  Sem filtração. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um rubi de média concentração e bela luminosidade. Os aromas mostram muita fruta vermelha e negra, especiarias (zimbro, pimenta preta, tomilho, alecrim) e um fundo mineral marcante. Na boca as sensações olfativas se potencializam, num ótimo corpo, com potente estrutura de taninos e suculenta acidez. Um vinho raçudo. Um longo final, com o toque mineral se destacando. Avaliação: 92/100 Pontos. Preço: R$ 346,00, na Decanter. Vinho do Renato.

 

O nome Rothschild é conhecido em todo o mundo, mas sua historia está intimamente ligada a região de Bordeaux, França. Nesta região a empresa produz dois dos seis Premiers Grand Cru Classe, vinhos místicos, caros e raros. Mas além destes dois vinhos fabulosos, produz uma linha que se tornou a cara de Bordeaux mundo afora. Trata-se do Mouton Cadet, um vinho acessível, produzido pela família na região de Bordeaux. São consumidos em mais de 150 países todos os anos mais de 12 milhões de garrafas de vinho da família Rothschild. A companhia tem parceria com a Mondavi Wines e com a Concha y Toro, produzindo vinhos também na Califórnia (o renomado Opus One) e no Chile (o premiado Almaviva e o Escudo Rojo).

Mouton Cadet 2012 – elaborado com 65%  Merlot, 20% Cabernet Sauvignon  e 15% Cabernet Franc , com amadurecimento  curto em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um granada profundo cintilante. Os aromas mostram frutas negras, com toques de tostado e especiarias finas. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos suaves, acidez equilibrada e leve adocicado. Bom final, com as frutas se mostrando. Avaliação: 87/100 Pontos. Preço: R$ 119,00, no Bacco’s. Vinho do Edilberto.

Mouton Cadet Reserve 2013 –  elaborado com 85%  Merlot, 8% Cabernet Sauvignon  e 7% Cabernet Franc, com amadurecimento de 12 meses em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 12,8%. A coloração é de um rubi escuro e brilhante. Os aromas mostram frutas negras, tabaco, especiarias, caramelo e café. Na boca apresenta taninos maduros, bem intewgrados, acidez equilibrada e leve amargor. Bom final frutado com tostado se mostrando. Avaliação: 89/100 Pontos. Preço: R$ 156,90, no Bacco’s. Vinho do Achiles.

 

William Fèvre, um dos produtores mais importante da França, produzindo um dos melhores Chablis, tornou-se famosa no negócio do vinho dedicando-se mais de 30 anos em aperfeiçoar a arte da vinificação. Em 1991, ele decidiu procurar melhores terroirs e com sua ampla experiência levou-o para o país com o maior potencial de vinificação :Chile.  A Vinícola William Fèvre fica localizada em San Juan de Pirque, uma pequena aldeia ao sul de Santiago, nas margens do rio Maipo em Muy Alto Maipo a quase 1.000 metros sobre o nível do mar. A vinícola está implantando um novo conceito de vinhos: MOUNTAIN GROWN – VINHOS NA MONTANHA. Enquanto todos iam para próximo do mar, William Fevre começou seu plantio na montanha, aos pés da Cordilheira dos Andes.

William Fèvre Chacai 2011 –elaborado com 85% Cabernet Sauvignon e 15% Cabernet Franc, com uvas do Vale de Maipo. Amadurecimento de 16 meses sendo 45% barricas novas, e 55% barricas de  2 e 3 anos. Teor Alcoólico de 13,7%. A coloração é de um rubi violáceo intenso e brilhante. Os aromas são complexos mostrandocassis, amora, frutas passificadas, pimenta, ligeiro herbáceo, especiarias, baunilha, alcaçuz  e tostado. Na boca apresenta um ótimo corpo, suculento, potencializando as sensações do olfato, com taninos firmes, bem integrados e acidez equilibrada. Longo final potente, com toque balsâmico se mostrando. Avaliação: 94/100 Pontos. Preço: R$ 324,00, na North Wine.  Vinho do Angelo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.