SOBRE
Osvaldir Castro
Biólogo e Winemaker, ministrando cursos e palestras sobre Vinho (como hobby) e participando de várias confrarias onde, com os amigos, compartilha e troca informações referentes ao tema. Lema: como bom enófilo, Diante de decisões, tomo o vinho.

Piper-Heidsieck Brut

GE DIGITAL CAMERA

Tudo começou quando Florens-Louis Heidsieck, filho de um pastor luterano Alemão se mudou para a pitoresca cidade Reims na França para ser comerciante de tecidos. Por influências locais, interesse e talento, passou a fazer seu próprio vinho e fundou sua “casa” (Maison) em 16 de julho de 1785 para produzir champanhes, segmento no qual viria a ser tornar um especialista de renome. Rapidamente seu excepcional champanhe passou a freqüentar as mesas da corte francesa, conquistando a preferência da rainha Maria Antonieta. Vem desta época a “Flor de Liz” presente em seus rótulos, símbolo oficial do protocolo diplomático francês, conferidos aos produtos de qualidade superior, reconhecidos pela excelência. Após a morte do fundador em 1828, seu sobrinho, Christian Heidsieck, e seu primo, Henri Guilaume Piper, assumiram o comando dos negócios. Enquanto Christian se dedicava a administração, Henri viajava pelo mundo para promover os champanhes. Essas viagens foram extremamente importantes, já que PIPER-HEIDSIECK se tornou provedora oficial de 14 cortes reais e imperiais pelo mundo afora.

Foi em outubro de 1839 que seus champanhes passaram a utilizar oficialmente a marca PIPER-HEIDSIECK, resultado da junção dos sobrenomes de Christian e Henri. Em 1885, ao completar um século de existência, a Maison encomendou ao famoso joalheiro Carl Fabérge, garrafas adornadas com diamantes e ouro para acondicionar uma quantidade limitada e rara de seus champanhes em virtude da celebração. Nas décadas seguintes seus champanhes foram introduzidos em dezenas de países ao redor do mundo. Em 1965, para comemorar o Oscar conquistado pelo ator inglês Rex Arrison, a empresa criou a maior garrafa de champanhe do mundo: tinha 1.82 metros e conteúdo equivalente a 64 garrafas normais.

Mais de uma década depois, em 1976, justamente no ano em que a França sofreu com uma enorme seca, a marca lançou seu primeiro champanhe em edição limitada e de excepcional qualidade. Desde então, a PIPER-HEIDSIECK vem criando champanhes especiais e limitados, denominados RARE. Em 1988 a tradicional Maison passou a fazer parte do grupo Rémy Cointreau, e partir daí seus champanhes ganharam uma melhor e mais ampla distribuição no mercado mundial. Além disso, a marca começou a dar atenção especial às embalagens, que passaram a inovar com lançamentos cada vez mais atraentes aos olhos do consumidor. Também introduziu acessórios pra lá de modernos como baldes de gelos, taças e coolers criados por renomados designers. Em 2002, se tornou a primeira empresa do segmento a lançar uma garrafa de ¼ de champanhe (batizada de BABY PIPER) para ser utilizada com canudinho. Pouco depois, em 2006, criou o PIPER-HEIDSIECK PISCINE, um drinque (champanhe com pequenos cubos de gelo) que reinventou a forma de tomar a tradicional bebida.

Em 2009, depois de parcerias de enorme sucesso com Jean-Paul Gaultier, que em 1999 criou uma garrafa envolta em um espartilho de couro vermelho, e Viktor & Rolf, que criaram em 2007 um divertido conjunto de garrafa, balde e taça com proporções invertidas, dando a idéia de que tudo estava de cabeça para baixo, a marca francesa se uniu ao estilista Christian Louboutin, para criar o Le Rituel Piper-Heidsieck by Christian Louboutin, que reunia toda sofisticação do champanhe PIPER-HEIDSIECK e o glamour dos sapatos criados pela estilista. A parceria firmada entre as bolhas douradas e as solas vermelhas, marca registrada do estilista, só poderia ser elegância na certa. Cada caixa trazia uma garrafa do champanhe e um sapato de salto feito com cristal trabalhado, um verdadeiro objeto de desejo para os colecionadores. Régis Camus, o enólogo da casa já foi eleito cinco vezes o melhor enólogo de champanhes do mundo pelo consagrado International Wine Challenge (IWC).

Fonte: Mundo da Marcas

Piper-Heidsieck Brut – elaborado com uvas Pinot Noir (55%), Chardonnay (15%) e Pinot Meunier (30%).. Teor Alcoólico de 12%. A coloração é de um amarelo palha brilhante, com fino e persistente perlage. Os aromas mostram maçãs verdes, cítricos, frutas cristalizadas, toque herbáceo e algo mineral. Na boca apresenta ótima cremosidade, cheio de frutas cítricas e uma harmonia perfeita entre as frutas e as leveduras. Longo e refrescante final com o cítrico se mostrando. Avaliação: 92/100 Pontos. Oferecido pelo Paulo Cesar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.