SOBRE
Osvaldir Castro
Biólogo e Winemaker, ministrando cursos e palestras sobre Vinho (como hobby) e participando de várias confrarias onde, com os amigos, compartilha e troca informações referentes ao tema. Lema: como bom enófilo, Diante de decisões, tomo o vinho.

Os vinhos do Dão

 

Vamos aos vinhos degustados na confraria Clube dos Amigos do Vinho.GE DIGITAL CAMERA

01 – As primeiras referências históricas que se conhecem sobre a Quinta da Pellada aparecem por volta de 1570, Ali existe ainda uma casa do séc. XVI construída de face para um pátio interior, como um solar fortificado. Álvaro de Castro é Eng.º civil e herdou esta propriedade em 1980, dedicando-se exclusivamente a ela, restabeleceu a tradição familiar na produção de vinho, quebrada há duas gerações.Levando a peito as suas referências de juventude e recordando os vinhos produzidos pelo Eng.º Vilhena do centro de estudos de Nelas. O seu primeiro vinho aparece então com a vindima de 1989.Desde essa altura até hoje tem sido apoiado na enologia pelo Engº. Magalhães Coelho e mais recentemente pelasua filha Eng.ª Maria Castro e também pelo Eng.º Ataíde Semedo.

Quinta de Saes Reserva Estágio Prolongado 2008 

Produtor:  Quinta da Pellada

País:  Portugal

Região:  Dão

Uva:   Touriga Nacional e Tinta Roriz, vinhas velhas

Amadurecimento: 12 meses de estágio em barricas usadas de carvalho francês 

Teor Alcóolico: 13%

Cor:  rubi de leve tonalidade granada

Aroma: mostra notas de frutas vermelhas, toques florais e  algo de especiados e tostados 

Sabor:   na boca é um vinho equilibrado, de volume médio e estrutura interessante, com muita  fruta, especiarias e taninos suaves e bem integrados

Final: Longo final com fruta e madeira se mostrando 

Avaliação: 90/100 Pontos 

Preço:  R$ 143,14, na Mistral

Observação: vinho  proveniente de uma vinha única muito velha, com vindima manual feita com cuidados extremos e executada por várias passagens. A elegância e equilíbrio são as suas características. Obteve 16,5 da Revista dos Vinhos

02 – A Quinta da Ponte da Pedrinha , de Maria de Lourdes Mendes Oliva Nunes Osório, situa-se na Região do Dão, entre Seia e Gouveia, e está na posse da família desde o Séc. XVIII. A sua vinha, foi  implantada há mais de 40 anos, sendo que as castas tintas ocupam 46 hrctares , com a seguinte composição: Touriga Nacional (30%), Tinta Roriz (18%), Jaen (16,5%), Alfrocheiro (10%) e outras (25,5%). As castas brancas ocupam 6 hectares  e compreendem Encruzado (40%), Cerceal (30%), Malvasia (20%) e outras (10%).Há também duas vinhas, chamadas “Vinhas velhas”, com idade superior a 40 anos, que são autênticos repositórios de castas antigas da região, caídas em desuso, e que constituem o patrimônio vitícola.

Quinta da Ponte Pedrinha Reserva 2005

Produtor:  Quinta da Ponte da Pedrinha

País:  Portugal

Região:  Dão

Uva:  Touriga Nacional, Alfrocheiro, Tinta Roriz e Jaen

Amadurecimento:  30% do vinho  em pipas novas de carvalho francês por 4 meses

Teor Alcóolico: 15%

Cor:  rubi,  límpido e transparente

Aroma:  mostra-se discreto, com  frutos vermelhos (morango, cereja amora), toques de especiarias, leve tostado  e algo de baunilha

Sabor:  apresenta pouco corpo, com taninos vivos, bem integrados e  acidez equilibrada, com o álcool se mostrando.

Final:  bom final, com o frutado se mostrando, algo de compota  e o álcool se fazendo presente

Avaliação: 92/100 Pontos 

Preço:  R$ 108,64, na Mistral

Observaçãovinho gastronômico, com boa tipicidade regional

03 – Partindo de uma ideia de Rolf Niepoort, Dirk, seu filho, contactou pela primeira vez Álvaro Castro em 2000 para criarem um vinho em conjunto. A idéia era criar o vinho ideal: associar a elegância e longevidade do Dão à concentração e estrutura do Douro. A quinta edição do DoDa (antes chamado DaDo) conjuga o melhor de duas regiões capazes de produzir grandes vinhos. O DoDa resulta da união de um lote de vinho do Douro produzido na Quinta de Nápoles com origem em vinhas com mais de 60 anos e um lote do Dão produzido na Quinta da Pellada proveniente de vinhas com mais de 30 anos, nas quais predomina a Touriga Nacional. O lote de 2004 tem 55% de Dão e 45% de Douro.

Quinta da Pellada Doda 2005

Produtor:  Quinta da Pellada

País:  Portugal

Região:  Dão

Uva:  Touriga Nacional 55% Touriga Franca, Tinta Roriz e Tinta Amarela 45%, vinhedos localizados nas regiões do Dão e do Douro.

Amadurecimento: O vinho do Douro foi vinificado em lagar tradicional e pisado a pé  e estagiou durante 20 meses em barricas de carvalho. francês.  O vinho do  Dão foi vinificado em lagares e estagiou 24 meses em barricas de carvalho.

Teor Alcóolico:13,5%  

Cor:  rubi inenso, com muito brilho

Aroma:  mostra-se muito complexo com notas florais, frutos vermelhos (cereja, amora), baunilha e toque  mineral.

Sabor:  Na boca, é envolvente com uma acidez viva, taninos presentes mas suaves, fruta muito fina e uma ótima estrutura

Final:  longo final, com o frutado se mostrando junto a madeira

Avaliação:  91/100 Pontos

Preço:  R$ 274,70, na Mistral

Observaçãoo vinho tem 55% de Dão e 45% de Douro. Leva a designação de vinho de mesa, por não seguir as normas específicas de uma região. Uma proposta interessante. Apresenta uma boa estrutura e deve ter uma grande longevidade.

04 – Situada no Concelho de Mangualde, entre Mangualde e Nelas, a Quinta dos Carvalhais,(adquirida pela Sogrape em 1989 e com adega a ser construída em 1990) compreende uma área total de 100 ha, com 50 ha de vinha plantada, numa idade média de 10 anos. As castas tintas ocupam 80% (Touriga Nacional, Tinta Roriz, Alfrocheiro e Jaen) e brancas 20% (Encruzado, Assario, Verdelho, Bical, Cerceal), sendo a equipa de enologia, liderada pelo enólogo Manuel Vieira. Fruto da colheita de 1996, iria nascer aquele que era esperado ser o ”Barca Velha” do Dão, o Quinta dos Carvalhais Reserva.

Quinta dos Carvalhais Reserva 2002

Produtor:  Quinta dos Carvalhais

País:  Portugal

Região:  Dão

Uva:  60% Tinta Roriz, 40% Touriga Nacional

Amadurecimento:  estágio e maturação em barricas de carvalho novo francês (à excepção de 15% de Tinta Roriz que estagiou em americano) durante cerca de 12 meses, com mais ano e meio em garrafa

Teor Alcóolico:  13%

Cor:  granada escuro de concentração média

Aroma:  mostra  cereja, amora, ameixa, licor, toque floral, tabaco, cacau e nota terrosa.

Sabor:  apresenta um bom corpo, repetindo as sensações do olfato, com taninos maduros e bem integrados

Final:  longo final com o frutado e o licor se mostrando

Avaliação: 89/100 Pontos 

Preço:  R$ 313,00, na Zahil

ObservaçãoÉ um belíssimo exemplar do Dão, pleno de harmonia e frescura.

05 – A linha Callabriga surgiu para apresentar ao mercado a nova cara do vinho português. São vinhos das três principais regiões vinícolas do pais – Douro, Dão e Alentejo – que têm como base sua uva mais difundida, a Tinta Roriz e, em cada região, recebe adição de uvas típicas do lugar. Assim, o enólogo responsável pela produção dos Callabriga é Antônio Graça, que trabalha em colaboração com Manuel Vieira, encarregado da produção da Quinta dos Carvalhais, vinícola-referência na região do Dão.

Callabriga Dão Reserva 2003

Produtor:  Sogrape Vinhos

País:  Portugal

Região:  Dão

UvaAragonês (Tinta Roriz) e Alicante Bouschet 

Amadurecimento: 12 meses de estágio em barricas usadas de carvalho francês  

Teor Alcóolico: 13,5%

Cor:  rubi profundo com muito brilho

Aroma:  mostra frutas maduras (ameixa, amora), frutas passificadas, toques herbáceos e florais, algo de madeira

Sabor:  apresenta um bom corpo, com taninos firmes e bem integrados ao frutado, Acidez equilibrada e leve adstrigência

Final:  longo, com frutado e madeira se mostrando

Avaliação: 91/100 Pontos 

Preço:  R$ 215,00, na Zahil

Observaçãoum vinho harmonioso e agradável, lembrando bem o Dão

Tikal Amorio Malbec 2010

Produtor:  Tikal (Ernesto Catena)

País:  Argentina

Região:  Mendoza

Uva:  Malbec (100%), de vinhedos localizados no distrito de La Consulta, na comuna de San Carlos e no distrito de Ugarteche, na comuna de Luján de Cuyo.

Amadurecimento: 12 meses em barricas de carvalho francês, 30% novas  

Teor Alcóolico: 14%  

Cor: violáceo intenso, com muito brilho

Aroma:  mostra fruta escura madura (ameixa), toquede madeira, tabaco e chocolate

Sabor:   apresenta um corpo opulento, frutado, com taninos macios e boa  acidez

Final:  longo, com o frutado e a madeira se mostrando

Avaliação: 90/100 Pontos 

Preço: oferecido pelo Pablo

Observaçãoum vinho bem ao estilo Catena. Engarrafado sem colagem, nem filtração. Obteve 91 Pontos de Parker

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.