SOBRE
Osvaldir Castro
Biólogo e Winemaker, ministrando cursos e palestras sobre Vinho (como hobby) e participando de várias confrarias onde, com os amigos, compartilha e troca informações referentes ao tema. Lema: como bom enófilo, Diante de decisões, tomo o vinho.

Os vinhos da reunião festiva dos Amigos do Vinho

GE DIGITAL CAMERA

Vamos aos vinhos degustados na reunião festiva da confraria Clube do Vinho de São José do Rio Preto, realizada na noite de ontem.

A Vinicola Hermann, em Pinheiro Machado, Rio Grande do Sul, pertence a família Hermann que é proprietária da Decanter, uma das mais tradicionais importadoras de vinhos para o Brasil. Há algum tempo, vem produzindo o espumante da linha Bossa, elaborado pelo método Charmat, e o Lírica Brut, elaborado pelo método tradicional.  Para inovar,  elaboraram o espumante Lírica Crua, que  não passa pelo processo de dégourgement (retirada das leveduras após a segunda fermentação na garrafa) e sem a adição do  licor de expedição (mistura que define a graduação final de açúcar do espumante).  Desse modo, cada garrafa chega ao consumidor carregando os sedimentos resultantes do amadurecimento sobre as lias. O Lírica Crua encontra-se sobre as lías desde setembro de 2013 e o cliente é quem decide quanto tempo o espumante restará sobre as borras. Como esse vinho pode ser guardado por 7 anos, será possível provar um espumante de 84 meses.

Hermann Lírica Crua – espumante elaborado com 80% Chardonnay, 10%  Pinot Noir e 10% Gouveio, permanecendo sobre as lias desde setembro de 2013. Teor Alcoólico de 11,8%. A coloração é de um palha intenso,  com certa turbidez devido à presença das leveduras, brilhante, com bolhas muito finas e persistentes. Os aromas mostram  fruta citrina, pêra , flores brancas, leve toque de pão e toda a exuberância que a permanência das lias podem conferir. Na boca apresenta  ótima cremosidade, frescor, muito complexidade e textura deliciosa. Um final surpreendente, com longa persistência. Avaliação: 90/100 Pontos. Preço: R$ 75,40, na Decanter. Observação: produzido na Vinícola Geisse, em Pinheiro Machado.

 

A Viña Cobos è a visão de um sonhador, que um dia assumiu o desafio de elaborar um grande vinho argentino, um tinto à altura dos mais reconhecidos vinhos do mundo. A partir desse sonho Paul Hobbs têm elaborado vinhos excepcionais e de qualidade superior, que posicionaram o Malbec e a Argentina no cenário dos grandes produtores vitivinícolas do mundo. Paul veio para a Argentina em 1989 e logo foi seduzido pelo terroir e pela tradição cultural do país, onde constatou um potencial único para o Malbec e para outras variedades. Em 1997 Paul conheceu dois enólogos mendocinos, Andrea e Luis, ambos com uma forte tradição familiar ligada à vitivinicultura, e que tinham aperfeiçoado seus conhecimentos na Califórnia. Com eles Paul compartilhou o sonho de elaborar vinhos ultra premium na Argentina. O nome faz referência à rua Cobos onde está localizado um vinhedo muito especial : o vinhedo Marchiori. Cobos e Malbec foram os primeiros vinhos da nova vinícola, produzidos a partir de parcelas especiais do vinhedo Marchiori. Estes dois rótulos demonstraram desde o primeiro momento a elevada qualidade que pode ser alcançada pelos vinhos argentinos, além do compromisso e do rigoroso trabalho dos enólogos, desde o cuidado do vinhedo até a elaboração do vinho. Desde então, os vinhos da Viña Cobos têm sido reconhecidos pela prestigiosa mídia internacional. Atualmente, seu portfólio inclui rótulos que são o resultado de um longo e paciente trabalho na exploração de terroirs e parcelas específicas de Luján de Cuyo e do Valle de Uco, em Mendoza.

Cobos Cocrodilo 2014 – elaborado com 77% Cabernet Sauvignon, 14% Cabernet Franc e 9% Malbec. Amadurecimento de 14 meses em carvalho, sendo 20% carvalho americano novo. Teor Alcoólico de 14,7%. A coloração é de um rubi profundo, escuro ebrilhante.  Os aromas mostram complexidade, comcereja, mírtilo, amora, cassis, cravo, canela, pimenta, toque floral, eucalípto e notas defumadas. Na boca apresenta um ótimo volume com taninos firmes, bem integrados ao frutado intenso. Acidez equilibrada. Algo de caramelo. Longo final com o potente frutado e o toque defumado se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos . Preço: R$ 248,00, na Grand Cru

 

A Bodega Catena  é identificada por ser a  responsável por colocar a Argentina definitivamente no cenário internacional de vinhos. Está estabelecida em Mendoza e foi Nicolas Catena  quem deu início à produção de vinhos de qualidade em grande escala. Nicolas fez estudos e descobriu que ao cultivar determinadas cepas em altitudes diferentes os resultados eram positivos e foi assim que inseriu a Malbec no contexto dos grandes vinhos. Foi ele quem trouxe novos clones da França e dos EUA, amadureceu vinhos em pequenas barricas de carvalho francês, introduziu a irrigação por gotejamento. Foi o responsável pela aplicação de tecnologia de vanguarda, que teve seu pioneirismo na sua vinícola. Catena Zapata é, indiscutivelmente, o  mais reverenciado produtor da Argentina.  na opinião unânime de toda a imprensa especializada internacional, de quem recebe sempre as melhores notas e prêmios. D.V. é a abreviação de Domingo Vicente(casou-se com Angelica Zapata, em 1934, dando origem à família Catena Zapata) e é uma linha que elabora vinhos a partir de diferentes cortes, diferentes varietais, de uvas provenientes de lotes distintos e de colheitas diversas. A mistura de tudo, obviamente que de forma estudada, cuidadosa e, até mesmo, metódica, permite desenvolver vinhos criativos, intensos e deliciosos. No total, a linha é composta por 6 tipos de vinhos, um Malbec, um Syrah, um Cabernet Malbec, um Cabernet, um Malbec Adrianna Vineyard e um Malbec Nicasia Vineyard.

D.V. Catena Cabernet-Malbec 2014 – elaborado com Cabernet Sauvignon (Viñedos La Pireâmide, em Agrelo) e Malbec (Viñedos Angelica, em Lunlunta). Amadurecimento de 12 meses em barricas de carvalho, 90% francesas e 10% americanas. Teor Alcoólico de 13,7%. A coloração é de um rubi violáceo intenso e brilhante. Os aromas mostra, frutas vermelhas, baunilha, toque herbáceo e leve madeira. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos suaves, repetindo as sensações do olfato. Acidez equilibrada. Bom final com a baunilha se mostrando. Avaliação: 90/100 Pontos   .Preço: R$ 122,14, na Mistral

 

Enrique Foster é um  americano nascido na Espanha que se apaixonou pela uva Malbec ao provar pela primeira vez, em 2001, um vinho feito com esta cepa. Ele, que já plantava as uvas Primitivo e Cannonnau (Grenache), estudou as mais avançadas tecnologias da California para levar a Malbec para Mendoza. Lá, Foster construiu, no ano seguinte, a primeira vinícola dedicada à elaboração de Malbec pelo sistema de gravidade (onde as uvas passam por todos os estágios de produção sendo impulsionadas apenas pela força da gravidade). Enrique Foster está localizada em Carrodilla . Um dos vinhedos fica no distrito “Mayor Drummond” a 900 metros de altitude  e possui uma área de 12 hectares de Malbec, plantada em 1919. Nele introduziu um novo sistema de condução de alta latada e drasticamente reduzido rendimento por hectare para uma maior concentração de sabores de Malbec. O segundo vinhedo está localizado na área de “The Gates”  a 1.067 metros de altitude, com 7 hectares de vinha Malbec de 37 anos. Ambos têm alta densidade de plantação, com mais de 5000 árvores por hectare. Mauricio Lorca é o Winemacker. Segundo Gabriela Zavala, não existe a intenção de se plantar outras variedades. O projeto continuará contemplando unicamente a uva Malbec.

Enrique Foster Malbec Edicion Limitada 2009elaborado com 100% Malbec, plantadas em 1919, com produção restrita não superior a 1 kg por videira. Amadurecimento de15 meses em barricas novas de carvalho francês nas suas caves subterrâneas, seguido por 12 meses em garrafa.   Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um  rubi profundo com reflexos violeta. Os aromas mostram cereja, framboesa, amora, especiarias, cedro, chocolate  e um toque de madeira. Na boca apresenta um bom corpo, com taninoselegantes, bem integrados, acidez pontual e leve adstringência. Longo final frutado, com o chocolate se mostrando. Avaliação: 93/100 Pontos  . Preço: R$ 160,00, na Vinho Br

 

Mauricio Lorca é um dos mais respeitados enólogos da Argentina. Ainda muito jovem, aos 21 anos, iniciou carreira na Bodega Esmeralda, do Grupo Catena Zapata. Depois seguiu pra Michel Torino, Luigi Bosca e Finca La Celia, até partir para vôo próprio, na Bodega y Viñedos Mauricio Lorca.A pouco mais de 100 km,numa fazenda secular , em Vista Flores, no Vale do Uco, a 1.020 metros acima do nível do mar e aos pés da Cordilheira dos Andes, instalou 29 hectares de vinhedos, em 1999, com a Bodega y Viñedos Mauricio Lorca, que está localizada numa fazenda a 1.020 metros acima do nível do mar.  Cultiva as cepas Sauvignon Blanc, Viognier, Malbec, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Syrah e Petit Verdot, colhidas manualmente. Lorca desenvolve projetos personalizados. Foi o que ocorreu com o Chicleteiro, um bom Malbec feito para a banda baiana Chiclete com Banana a pedido da Ana Marques, mulher do Bel e dona da maior importadora de vinhos para o Nordeste, a Ana Import. Esse projeto já está extinto.

Gran Lorca Poetico Petit Verdot 2009 – elaborado com 100% Petit Verdot, de uvas plantadas em Vista Flores, Tunuyán (Valle de Uco, Mendoza), a uma altitude de 1.050 metros acima do nível do mar. Amadurecimento de 12 meses em  barris novos de carvalho americano(10%) e francês (90%). Produção: 2.500 garrafas. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um rubi intenso, com reflexos púrpura e brilhante. Os aromas mostram frutos negros (especialmente amora), baunilha, leve tostado, toques picantes e herbáceos. Na boca apresenta taninos firmes, repetindo as sensações do olfato, especialmente o toque picante. Bom final frutado ainda com o picante se mostrando. Avaliação: 92/100 Pontos  Preço: R$ 296,75, no Vinissimo. Observação: a Petit Verdot tem uma característica peculiar em que produz mais de dois cachos por broto.

 

A Bodega San Pedro de Yacochuya está localizada em Cafayate, cerca de 190km da cidade de Salta, a 1.600m de altitude. Sua produção é praticamente toda voltada para a uva Malbec com algumas pequenas parcelas de Torrontés e Tannat. A bodega tem como sócio o famoso Michel Roland, que em 1998 foi convidado pela familia Etchart, para dar consultoria para a bodega em troca de uma participação societária. Ele aceitou e fez uma verdadeira transformação na forma de produzir vinhos por lá. A bodega é relativamente pequena e a cave armazena cerca de 300 barricas 100% francesas .O estilo dos vinho de Yacochuya reflete a marca degistrada de Roland – vinhos de muito corpo e estrutura provenientes das uvas de longa maturação debaixo do Sol impiedoso da região .Os vinhos são divididos em 3 linhas :Coquen, linha básica feita com uvas próprias e compradas de outros produtores, San Pedro linha intermediária, somente uvas próprias de vinhedos de cerca de 10 anos, e Yacochuya, top de linha, feitos apenas com vinhas próprias e com vinhedos de até 100 anos.

San Pedro de Yacochuya 2013 – elaborado com 93% Malbec e 7% Cabernet Sauvignon, com 12 meses em barril de carvalho. Teor Alcoólico de 15%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram jabuticaba, cereja negra, mírtilo, cassis e café com um leve toque de mineralidade. Na boca apresenta um bom corpo, repetindo as sensações do olfato, com taninos firmes e bem integrados. Acidez equilibrada. Longo final, com o toque mineral se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 206,00, na Grand Cru.

 

Familia Zuccardi  é referência em vinho de qualidade. Com sua agricultura de precisão consegue tem catalogado cada uma das videiras, suas características, tipo de solo e irrigação presentes nos quase 840 hectares plantados distribuídos pelas regiões de Maipú, Santa Rosa, Altamira, Vista Flores e La Consulta. É também proprietária da vinícola Santa Julia e possui um extenso portfólio de vinhos.  A bodega é uma das mais antigas produtoras da casta Tempranillo e produz um vinho magnífico. Desde 1998 a Família Zuccardi trabalha para tornar orgânico o cultivo de todos os seus vinhedos, sendo que hoje quase toda sua plantação já está certificada. Além do vinho, a Família Zuccardi ainda se dedica à produção de azeite de oliva de alta qualidade. Existem várias linhas de vinhos. O nome da linha Zuccardi Q por exemplo, tem sua origem na prática de marcar com um “Q” – de Quality – os lotes mais antigos e uniformes de cada vinhedo, os quais se trabalham com atenção especial para atingir uvas de qualidades excepcionais. Hoje, as uvas com que se elabora os vinhos Zuccardi Q, provém de reconhecidas microrregiões no Vale de Uco e de vinhedos antigos selecionados. Três variedades tintas e uma branca: Malbec, Tempranillo, Cabernet Sauvignon e um Chardonnay compõem esta linha com um delicado componente de madeira e particular acento de expressão frutal.

Zuccardi Q Tempranillo 2011 – elaborado com 100% Tempranillo, de vinhedos de Santa Rosa, com mais de 35 anos. Amadurecimento de 12 meses em carvalho americano e 6 meses em garrafa.. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram cereja, ameixa, figo, coco, notas de baunilha, leve defumado  e tabaco. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos sedosos, bem integrados e acidez em equilíbrio. Longo final,  com o frutado presente e o defumado se mostrando. Avaliação:  91/100 Pontos . Preço: R$ R$ 169,00, na Via Vini

Uma bela noitada, potencializada pelas esposas!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.