SOBRE
Osvaldir Castro
Biólogo e Winemaker, ministrando cursos e palestras sobre Vinho (como hobby) e participando de várias confrarias onde, com os amigos, compartilha e troca informações referentes ao tema. Lema: como bom enófilo, Diante de decisões, tomo o vinho.

Os vinhos da Espanha na Confraria do Vinho

GE DIGITAL CAMERA

Vamos aos vinhos da Espanha degustados, no dia de ontem, na confraria Clube dos Amigos do Vinho, de São José do Rio Preto

 

Terra de Falanis é uma adega com um pé em Mallorca e um em Montsant.  A ideia de Miquel A. Sardá e Pere Obrador é produzir vinhos em diferentes microclimas mediterrâneos, que combinem a cultura catalã com diferentes altitudes e continentalidade, sempre marcados pela influência marítima. Os vinhos são belas expressões dos terroirs de Mallorca e Montsant e foram apontados pelo crítico José Peñin como “vinhos de ótimo preço. Jovens, saborosos e fáceis de beber”. Os rótulos com nomes formados por onomatopeias e as ilustrações do artista plástico Pere Joan são uma atração à parte! Além do Plic Plic Plic, são produzidos o Muac e o Bla bla bla. As uvas utilizadas na produção dos  Terra de Falanis, bem como as utilizadas na elaboração dos outros vinhos da Ánima Negra, são cultivadas em cerca de 135 localidades (próprias ou de parceiros da produtora) em um raio de 10 quilômetros da vinícola. Essas áreas de cultivo contam com vinhas entre 50 e 85 anos de idade.

 

Plic Plic Plic 2015 – elaborado com 50% Samsó (Carignan) e 50% Garnacha, com estágio de seis meses em barricas de carvalho francês e americano. Teor nAlcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostramamora, cereja, ameixa, notas florais, especiarias doces, além de toques terrosos e herbáceos. Na boca as sensações do olfato se repetem, num corpo médio, taninos suaves, acidez em equilíbrio, leve adstringência e mineralidade. Bom final frutado com o toque mineral se mostrando. Avaliação: 91/100. Preço: 86,21, na Mistral. Excelente custo/qualidade  

 

Alvaro Palacios é considerado um dos melhores e mais talentosos enólogos da Espanmha. Um dos vinhos mais conhecidos produzidos por Alvaro Palacios é o vinho tinto L’Ermita, um dos vinhos mais disputados e comentados do mundo. Herdeiro de uma tradicional família de produtores de vinho do Rioja, Alvaro Palacios estudou enologia em Bordeaux e assumiu, na década 1980, os vinhedos de uma antiga propriedade vinícola em Priorato, abandonada desde a crise da filoxera. O talento do enólogo junto ao terroir, às colinas íngremes e terraços do da propriedade, que fica a 600 milhas de Barcelona, resultou na produção de vinhos de grande sucesso e repercussão em toda a Espanha e no mundo.

Camins del Priorat 2015 – elaborado com 60% Carignan, 30% Granacha , 5%Cabernet  e 5% Syrah , a partir de vinhedos próprios e outros selecionados no Priorato, com amadurecimento de  4 meses em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um rubi vivo, com halos violáceos e muito brilho. Os aromas mostram cereja, framboesa, amora, especiarias finas, notas balsâmicas e baunilha. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos firmes, acidez média, mineralidade e álcool se apresentando. Bom final frutado, com mineral se mostrando. Avaliação: 92/100. Preço: 205,49, na Mistral.

 

Clos Mogador localizada em Gratallops, no centro do Piorato, com seus 13 hectares de vinhedos plantados em terraços ingremes, acima do rio Siurana, foi fundada em 1979 pelo catalão-francês René Barbier, mas o primeiro vinho apareceu apenas depois do ano de 1989, em uma versão conjunta com nove outros produtores, que recebeu grande sucesso. René Barbier liderou o movimento original Priorat, provando que vinhos únicos e emocionantes poderiam ser feitos nesta área “esquecida” da região. Na vinícola Clos Mogador ele cuidou das velhas vinhas abandonadas que foram plantadas em encostas íngremes no solo de xisto, dando origem a uvas bastante concentradas e intensas. Rapidamente a propriedade se firmou como a principal vinícola da denominação de origem.

 

Clos Morgador 2011 – elaborado com 40% de Garnacha (vinhas de mais de 80 anos), 40% de Cabernet Sauvignon e 20% de Syrah (todas vinhas com mais de 30 anos), com amadurecimento de 18 meses em carvalho. Teor Alcoólico de 15,5%. A coloração é de um intenso e brilhante rubi. Os aromas complexos mostram muita fruta madura (ameixa, cereja, amora, lichia), licor de cassis, toques animais e notas de fermentação, com baunilha ao final. Na boca apresenta um bom corpo, com muito volume, taninos bem integrados ao álcool, acidez e frutas intensas. Um longo final, com cacau e tostados. Avaliação: 93/100 Pontos. Preço: R$626,00, na Mistral

 

Clos Figueras está localizada em um terroir excepcional, escolhido para Christopher Cannan por René Barbier, de Clos Mogador em 1997, quando alguns dos melhores vinhedos desta região ainda não haviam sido descobertos. As vinhas antigas de Garnacha e Cariñena e parcelas de Cabernet Sauvignon, Syrah e Mourvèdre são plantadas em terraços de puro xisto, como os melhores vinhos do Priorato. René Barbier cuida dos vinhedos e da vinificação. Apesar de ser relativamente nova e pequena, a vinícola Clos Figueras tem se destacado na região do Priorato. A atuação de Christopher Cannan foi essencial para o desenvolvimento da companhia, dando origem a vinhos com qualidade cada vez maior. Após anos exaltando as virtudes da região do Priorato, Cannan decidiu investir em um vinhedo abandonado ao norte da cidade de Gratallops, e com a ajuda de Barbier replantou a propriedade de 10 hectares nos famosos solos licorella, compostos por ardósia e xisto, e responsáveis pela produção dos poderosos vinhos minerais que a região é famosa. A companhia cultiva as uvas Cabernet Sauvignon, Grenache, Carignan e Syrah.
Clos Figueras Serras del Priorat 2013 – elaborado com 60% Grenache, 10% Carignan e 30% Syrah, Mourvedre e Cabernet Sauvignon, vinhedos de 30 a 60 an0s, com amadurecimento de 14 meses em carvalho francês. Teor alcoólico de 15%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram frutas vermelhas,  notas de alcaçuz e um toque herbáceo. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos firmes e bem integrados, acidez equilibrada e um leve toque adocicado e picante. Longo final frutado, com balsâmico se mostrando. Avaliação: 93/100 Pontos. Preço: R$230,21, na Mistral

 

Clos Erasmus nasceu por acaso, quando Daphne Glorian  fez uma visita à Priorato com seus amigos no final da década de 1980. Originalmente, embora tenha sido conquistada pela beleza natural da região, não tinha intenção de adquirir nenhuma videira. No entanto, após receber conselhos de Alvaro Palacios  e René Barbier sobre o potencial inexplorado da área, Daphne resolveu comprar algumas terras e cultivar as uvas Cabernet Sauvignon, Grenache e Syrah, complementando as velhas videiras de Grenache já existentes. Desde o início, ou seja, desde a fundação da vinícola em 1989, tem sido praticada a agricultura orgânica nas vinhas e desde 2004 têm sido usados métodos biodinâmicos. A vinícola produz alguns dos melhores vinhos do mundo, Clos Erasmus. Entre outras razões, a qualidade do vinho é devido à rigorosa seleção de uvas, e para isso veio apenas uvas inteiras são usados.

Clos i Terrasses Laurel 2013 – elaborado com Garnacha, Syrah, Cabernet Sauvignon, com amadurecimento de 21 meses em barris de carvalho francês em forma de cone onde o Clos Erasmus amadureceu anteriormente. Teor Alcoólico de15%. A coloração é de um rubi profundo, intenso e brilhante. Os aromas mostram frutas vermelhas confitadas, especiarias e toque mineral. Na boca as sensações do olfato se repetem, com taninos suaves e bem integrados, adstringência pontual e leve adocicado. Longo final frutado com o toque mineral se mostrando.  Avaliação: 90/100 Pontos. Preço: R$376,67, na Mistral

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.