SOBRE
Osvaldir Castro
Biólogo e Winemaker, ministrando cursos e palestras sobre Vinho (como hobby) e participando de várias confrarias onde, com os amigos, compartilha e troca informações referentes ao tema. Lema: como bom enófilo, Diante de decisões, tomo o vinho.

Os vinhos da degustação festiva do Clube dos Amigos do Vinho

GE DIGITAL CAMERA

Vamos aos vinhos degustados na reunião festiva da confraria Clube dos Amigos do Vinho de São José do Rio Preto.

A história  de Mähler-Besse começa em 1892, quando Fréderik Mähler, então com 20 anos, decide deixar a Holanda para se instalar em Bordeaux no comércio de vinhos finos e bebidas espirituosas. Em 1905, ele se casa com Marguerite Besse e dá a sua empresa uma dimensão internacional, enquanto se ramifica para o norte da Europa, as Índias Ocidentais holandesas, Rússia, Canadá …. Em 1928, seu filho Henry também vem para ajudá-lo. Juntos, eles adicionam a paixão da vinha ao vinho enquanto se tornam co-proprietários em 1938 de Château Palmer em Margaux, depois comprando Château Cheval Noir em St. Emilion.

Château Cheval Noir St. Emilion 2014 – elaborado com 70% Merlot e 30% Cabernet Franc, com amadurecimento em cubas de inox. Teor Alcoólico de 12,5%. A coloração é de um Vermelho rubi médio e brilhante. Os aromas mostram frutas vermelha, especiarias finas e toques florais. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos suaves, acidez equilibrada e elegância. Bom final com o frutado se mostrando. Avaliação: 88/100 Pontos. Preço: R$ 126,00, na Decanter.

 

A família Dreyer comprou a fazenda, Remhoogte, a sudeste de Hermanus, em Akkedisberg, no ano de 1982. Em 1999, os Dreyers plantaram 10 hectares de Cabernet Sauvignon, Merlot e Shiraz. Desde então, foram adicionados alguns hectares todos os anos e, atualmente, os 68 hectares na fazenda incluem plantações de Pinotage, Sangiovese, Viognier, Mourvedre, Petit Verdot e também plantações maiores de Cabernet Franc, Malbec e Sauvignon Blanc. Um pouco da  história do nome Raka. Piet Dreyer foi um pescador por toda a vida. Quando tinha cerca de 16 anos, seu pai ficou gravemente ferido em um acidente de moto e ele ajudou sua mãe a manter a família pescando nos finais de semana. O mar e a pesca permaneceram em sua paixão,  tornando-se conhecido entre os pescadores de lulas. Por causa da lula esguichando tinta preta por todo o barco, Piet decidiu construir um navio congelador preto, que ele  chamou RAKA (do poema de NP van Wyk Louw, sobre uma tribo africana ameaçada por Raka, metade do homem meio besta e tão preta como a noite).

Raka Pinotage 2014 –  elaborado com 100%Pinotage, produzida em Overberg District, Kleinrivier Ward, Africa do Sul. Amadureceu  12 meses em barricas de carvalho francês e húngaro. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante, com halos mais claros. Os aromas mstram frutas vermelhas, café, couro, especiarias, notas tostadas e toques balsâmicos. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos macios e bem integrados às frutas. Acidez pontual e leve adstrigência. Bom final frutado com tostados e café se mostrando. Avaliação: 92/100 Pontos. Preço: R$ 149,60, na Decanter.

 

Racemi  está localizada na cidade de Manduria, na província de Taranto, na região de Puglia. O seu projeto consiste na valorização do Vigneto Puglia, que é na pesquisa, vinificação e comercialização em uma escala internacional das vinhas nativas regionais. A ideia, nascida da intuição do Gregory Perrucci, refletiu-se na experiência adquirida com o fenômeno Felline – Primitivo di Manduria, o primeiro vinho que que se destacou com a cepa, hoje a mais prestigiada na região de Puglia. Racemi produz as linhas: Felline,Selezione Academica, Torre Guaceto e Vini Base.

Accademia dei Racemi  Archidamo Primitivo di Manduria 2015 – elaborado com 100% Primitivo, com passagem de 6 meses em botti para 40% do vinho, o restante em cubas de inox. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso com reflexos violáceos. Os aromas são intensos, mostrando frutas vermelhas, frutas confitadas,licor de cereja,  notas balsâmicas e  toques minerias. Na boca as sensações do olfato se repetem, num bom corpo e taninos potentes. Longa persistência com toques minerais se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 136,40, na Enoteca Decanter.

 

A Finca Bolandín, onde fica a vinha, a Bodega Pago de Cirsus, o Hotel-Chateau e o Restaurante Pago de Cirsus, está localizada no município de Ablitas, no extremo sul da Comunidade Foral de Navarra, na Espanha,  a uma altitude de 395 metros acima do nível do mar. A fazenda é um único campo de vinhas com atributos únicos que o tornam diferente de qualquer outra vinha, tanto por suas características do “Terroir” ou meia vinha em que se baseia, bem como as cuidadas técnicas de cultivo utilizadas, a fim de obter uvas e vinhos da mais alta qualidade, típicos do território em que são obtidos e com propriedade típica ou pago. Com 220 hectares, a fazenda é composta por 136,7 hectares de vinha plantada no ano 2000, com as  seguintes variedades: Chardonnay. Muscat Grano Menudo, Carbenet Sauvignon, Merlot,  Syrah,  Tempranillo e Garnacha.

Pago de Cirsus Vendimia Seleccionada 2014 – elaborado com Tempranillo, Merlot e Syrah, vinhedos da Finca Bolandín, em Navarra – Subzona de Ribera Baja. Amadureceu por 12 meses em barricas novas de carvalho francês. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um rubi profundo, com halos violáceos. Os aromas mostram frutas negras, chocolate e notas balsâmicas. Na boca as sensações do olfato se potencializam, num bom corpo, com taninos firmes e bem integrados, acidez equilibrada. Longo final com o chocolate se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 138,80, na Decanter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.