SOBRE
Osvaldir Castro
Biólogo e Winemaker, ministrando cursos e palestras sobre Vinho (como hobby) e participando de várias confrarias onde, com os amigos, compartilha e troca informações referentes ao tema. Lema: como bom enófilo, Diante de decisões, tomo o vinho.

Os vinhos da Confraria

GE DIGITAL CAMERA

Vamos a descrição dos vinhos degustados na Confraria do Vinho de São José do Rio Preto.

Pian Di Conte, sede da Azienda Agricola Talenti, fica em Sant’Angelo In Colle, no sul de Montalcino. É uma bela e antiga construção, ao lado do rio Orcia. Em 1980 Pierluigi Talenti comprou a propriedade e atualmente cultiva 20 hectares de Sangiovese Grosso, além de outras uvas típicas da região. Possui um pequeno bosque de oliveiras. A vinícola é comandada por Ricardo, neto de Pierluigi.

Talenti Brunello di Montalcino Talenti 2010 –elaborado com 100% Sangiovese Grosso, com envelhecimento de 24 meses em barricas de carvalho francês (60%) e esloveno (40%). Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um intenso e brilhante rub, com halos alaranjadosi. Os aromas mostram frutas vermelhas e negras, notas florais, cedro, tabaco, especiarias e toque mineral. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos marcantes e bem integrados ao frutado. Longo final com leve tostado. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 441,00, na Grand Cru.

 

Situado a 500m na ​​encosta leste da cidade medieval  de Saint-Christophe des Bardes, o Château Haut-Sarpe – Saint-Émilion pertence à família Joseph Janoueix, e  é uma das casas mais antigas na área de Libourne, e  são bem conhecidos como produtores e comerciantes. É uma das vinhas mais antigas e conceituadas em Saint-Émilion, com 21 hectares. O castelo é protegido por um portão de ferro flanqueado por dois leões.  Há também o museu moinho de farinha com o único remanescente moinho restaurado do século 18 em Saint-Émilion, além de  oficinas para artistas, carros de 1922 e 1929 e um jardim de rosas com centenas de aves. Os peregrinos do caminho de Santiago de Compostelle  podem jantar e dormir na “Maison des Pèlerins”, (Casa peregrinos).

Château Haut-Sarpe Saint-Emilion Grand Cru 2008 – elaborado com 70% Merlot e 30% Cabernet Franc, com amadurecimento de 18 meses em barricas de carvalho francês, 30% novas. Sem filtração.Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram cassis, framboesa, cereja,  folhagem úmida e alcaçuz. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos suaves , bem integrados ao frutado e leve adstringência. Bom final frutado. Avaliação: 87/100 Pontos. Preço: R$ 344,00, na Decanter.

 

Bodega Vega Sicilia foi fundada em 1864, por Don Eloy Lecanda, com o objetivo de produzir vinhos tintos tão bons quanto os de Bordeaux. Naquela época, nos 140 hectares da propriedade, foramão plantadas 18.000 videiras de três variedades  então desconhecidas na Espanha: Cabernet Sauvifnon,Merlot e Malbec.  No entanto, o primeiro Vega Sicilia só surgiu por volta de 1915, pelas mãos de Domingo Garramiola. A partir de então, começa a venda de um vinho que, o Marques de riscal introduziu nos salões da aristocracia e das elites econômicas.A família Alvarez, atual dona da Vega Sicilia, comprou a empresa em 1982. O rigor se mantém e quando a safra não é boa, não se faz sequer a colheita.

Valbueña 5º 2009 - elaborado com Tempranillo (95%) e Merlot (5%), a partir de vinhas novas. Amadurecimento  durante cinco meses em barricas de carvalho de 20.000 litros, 16 meses em barricas novas (partes iguais de carvalho francês e americano), quatro meses em barricas usadas e depois mais quatro meses em cubas antes de ser engarrafado em maio de 2011. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um vermelho granada com tons de alaranjados e muito brilho. Os aromas mostram frutas vermelhas (intensa cereja), tostado, alcaçuz e algo de pimenta. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos presentes e bem integrados, boa acidez, repetindo as sensações do olfato, com destaque para o tostado. Bom final ainda com o tostado se mostrando. Avaliação: 92/100 Pontos. Preço: R$ 1.238,00, na Grand Cru. É um ícone da Espanha.

 

A empresa foi fundada em 1836, quando Charles Audibert e Philippe Delas comprou uma empresa negociant em Tournon-sur-Rhône. Renomearam a empresa para Audibert & Delas. Por volta de 1920 dois irmãos Delas se casaram com  duas irmãs da família Audibert, e em 1924, o nome tornou-se Delas Frères. Durante o período de 1960-1977 Michel Delas foi o gerente. Em 1977, ele vendeu a empresa para Champagne Deutz, esta empresa foi comprada em 1993 por Roederer, que também possui Roederer Estate e Scharffenberger na Califórnia, Ramos Pinto em Portugal, Domaines Ott, (Provence), Chateau de Pez, Haut Beauséjour, Pichon Longueville Comtesse de Lalande e Bernadotte (Bordeaux). A empresa produz Chateauneuf du Pape, Tavel, Vacqueyras, Gigondas, Cornas, Côte Rôtie, Hermitage, Crozes Hermitage, St-Joseph, Condrieu, Cotes du Rhone, Ventoux,

Delas Châteauneuf-du-Pape 2011 – elaborado com 90% Grenache e 10% Syrah, com amadurecimento de 14 meses em barricas de carvalho francês. Teor Alcoólico de 15%. A coloração é de um vermelho profundo e brilhante. Os aromas mostram frutas pretas, minerais, couro, caramelo, especiarias, madeira e anis. Na boca apresenta bom corpo, com  taninos e carvalhos potentes e elegantes. Muito sedoso ótima estrutura. Um adocicado marcante, que persiste no final de boca (doce de leite). Avaliação: 93/100 Pontos. Preço: R$ 413,00, na Grand Cru.

 

Quando Hans e Carrie Jorgensen viram Cortes de Cima pela primeira vez em 1988, souberam logo que este era o sítio que tanto procuraram. Quando viu a paisagem, Carrie lembrou– se logo da sua terra natal, a Califórnia; e o clima mediterrânico, bem diferente do frio da Dinamarca foi do agrado do Hans. Para começar, eles decidiram fazer coisas diferentes, como plantar castas tintas numa área tradicionalmente de brancas. Deste modo introduziram o Syrah (na altura não aprovado) e um sistema de condução da vinha bem diferente do local. Em 1998, quando engarrafaram o primeiro monocasta Syrah, tiveram alguns problemas na escolha do seu rótulo, uma vez que a casta Syrah ainda não estava autorizada na produção de “Vinho Regional”. Daí o nome “Incógnito”.

Cortes de Cima Incógnito 2009 – elaborado com 100% Syrah, com amadurecimento de 6 meses em barricas de carvalho francês. Engarrafado sem filtração nem colagem em julho 2010. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um vermelho muito denso e escuro. Os aromas mostram frutos vermelhos bem maduros, notas balsâmicas,  baunilha, café e toque mineral. Na boca apresenta ótimo corpo, repleto de fruta doce e cremoso em grande harmonia, com taninos ricos, carvalho bem balanceado e notas de baunilha. Longo final com baunilha e bâlsamo se mostrando. Avaliação: 94/100 Pontos. Preço: R$ 476,00, na Enoteca Cursino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.