SOBRE
Osvaldir Castro
Biólogo e Winemaker, ministrando cursos e palestras sobre Vinho (como hobby) e participando de várias confrarias onde, com os amigos, compartilha e troca informações referentes ao tema. Lema: como bom enófilo, Diante de decisões, tomo o vinho.

Os espanhóis degustados no Clube dos Amigos do Vinho

IMG-20190311-WA0002

Com 5 vinhos espanhóis, sendo 4 de Rioja e um de Mallorca, a confraria Clube dos Amigos do Vinho realizou a sua degustação do mês de março. Vamos aos vinhos.

A vinícola CVNE é considerada um dos tesouros mais bem escondidos da Espanha, em Rioja. A história da CVNE se confunde com a dos grandes vinhos de Bordeaux, quando a praga filoxera atacou os vinhedos da França no século XIX. Desde os Crianza aos Gran Reservas, estes são vinhos que honram a tradição riojana, com perfeito equilíbrio entre o fruto e o carvalho. Constam de todas as relações dos melhores produtores espanhóis. Desde o ano de sua fundação, em 1879, a vinícola familiar CVNE conseguiu combinar o estilo tradicional com os últimos avanços tecnológicos. O famoso arquiteto Philippe Mazières projetou em 2004 uma nova e impressionante vinícola. CVNE ganhou reconhecimento internacional por elaborar diferentes estilos de vinho, que englobam desde vinhos de mesa fáceis de beber até vinhos com uma excelente capacidade de envelhecimento. De grande prestígio, os Imperial – Reserva e Gran Reserva – são produzidos apenas quando a safra é espetacular na Rioja Alta. Os consagrados Viña Real seguem um estilo mais moderno e são elaborados com uvas da conceituada região de Rioja Alavesa, no País Basco. O produtor também é proprietário dos reputados Viñedos del Contino, um verdadeiro château riojano.

Imperial Reserva 2014 – elaborado com 85% Tempranillo e 15% Graciano, Mazuelo e  Garnacha, com 2 anos em barricas de carvalho francês e americano novas e mais 2 anos em garrafa antes de ser comercializado. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um granada profunda com reflexos azulados na borda. Os aromas mostram  frutos silvestres, alcaçuz, notas de toffee, chocolate e tabaco. Na boca apresenta  bom corpo, taninos finos e aveludados, repetindo as sensações do olfato. Longo final complexo, com alcaçuz se mostrando. Avaliação: 93 /100 Pontos. Preço: R$ 486,67, na Vinci. Observação: o nome Imperial era uma referência ao tamanho da garrafa, “Imperial Pint”, de cerca de 500 ml.

Viña Real Gran Reserva 2011 –elaborado com 95% Tempranillo e 5% Graciano, com amadurecimento de  24 meses em  carvalho americano. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um marrom com nuances de cereja e granada. Os aromas mostram frutas negras, especiarias, cacau, baunilha e madeira. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos firmes e elegantes, complexidade, repetindo as sensações do olfato. Longo final frutado, com o cacau se mostrando. Avaliação:  94/100 Pontos. Preço: R$ 444,46, na Vinci. Observação: um verdadeiro embaixador da região da Rioja, o Viña Real Gran Reserva recebeu 95 pontos de James Suckling na safra 2011.

López de Heredia é, sem dúvida, uma das mais belas histórias do mundo do vinho espanhol. A vinícola foi fundada em 1877 por Rafael López de Heredia y Landeta, bisavô dos atuais proprietários, juntamente com um négociant francês que retornou ao seu país quando a crise da filoxera acabou. López de Heredia continuou com o negócio, primeiro com outros parceiros e depois sozinho. Ele era um visionário – em 1900 ele estava determinado a “vender vinho para aqueles que possuíam carros, usavam gravatas, falavam inglês e eram ligados à Casa Real”.

O ambicioso projeto arquitetônico que ele projetou para Tondônia no tradicional Bairro de la Estación, em Haro, ainda não foi concluído, mas seus descendentes seguem obedientemente seus projetos originais. A quarta geração, liderada por María José López de Heredia, se interessou por modernidade – a loja projetada pela arquiteta Zaha Hadid é um exemplo -, mas se orgulha de seu compromisso com a herança da família. Prova disso é o lançamento de um projeto cultural para registrar e classificar os vastos arquivos da vinícola, que incluem documentos, fotografias, móveis, ferramentas usadas nos campos … tudo o que fez parte da vinícola e da família ao longo de sua história. Seus vinhos são únicos em Rioja também porque não se renderam à modernidade – são os mais clássicos entre os clássicos. A propriedade possui 170 hectares de vinhas. A Viña Tondonia ocupa 100 delas ao longo do rio Ebro e produz os vinhos mais famosos. Outras vinhas são Viña Cubillo, Viña Bosconia e Viña Zaconia.

Os vinhos ainda são vinificados com leveduras nativas, longos períodos de envelhecimento em barris americanos antigos (a adega tem sua própria tanoaria onde os barris são cuidadosamente reparados e afinados), clarificados com clara de ovo e engarrafados sem filtração. Seus volumes de álcool são mais baixos do que outros vinhos de Rioja, enquanto a acidez é notavelmente maior. As texturas são bastante especiais, talvez devido à lenta decantação natural que os vinhos experimentam ao longo dos anos em que são mantidos em barris.

Viña Bosconia 2006 – elaborada com 80% Tempranillo, 15% Garnacho e 5% Mazuelo e Graciano, com amadurecimento de 36 meses em carvalho e 24 meses em garrafa. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um rubi profundo, intenso e brilhante. Os aromas mostram frutas vermelhas confitadas, especiarias, notas de alcaçuz algo herbáceo e toque mineral. Na boca as sensações do olfato se repetem, com taninos firmes e bem integrados, adstringência pontual e leve adocicado. Longo final frutado com o toque herbáceo se mostrando.  Avaliação: 92/100 Pontos. Preço: R$ 405,49, na Vinci.

 

Palacios Remondo é uma das melhores bodegas de Rioja Baja, que voltou a ter como enólogo o genial Alvaro Palacios, pertencente à família proprietária da vinícola. A Bodegas Palacios Remondo foi revitalizada com a chegada de Alvaro Palacios que, começando do zero, fez seu nome e deu origem a alguns dos melhores vinhos do Priorato. Atualmente, Alvaro Palacios está gerindo a Bodegas Palacios Remondo, com vinhos produzidos a partir de suas próprias uvas – uma raridade na região espanhola de Rioja. Palacios está profundamente comprometido com as técnicas vinicultura, naturais e orgânicas, como o uso de fertilizantes orgânicos em solos compostos por argila e cobertos de pedra, por exemplo. Todos os vinhos da casa são filtrados, onde não se encontram leveduras exógenas ou compostos comerciais nos exemplares, bem como os níveis de sulfito são mantidos em níveis baixíssimos. Além disso, Palacios Remondo preza pelo respeito total às vinhas e ao ambiente em que cada uma pertence – La Montesa, Propiedad, Plácet Valtomelloso e La Vendimia – que expressam a verdadeira natureza nos solos da propriedade.

Propriedad Herencia Remondo 2007 – elaborado com Tempranillo, Mazuelo, Graciano e Garnacha , com envelhecimento de 12 meses em barricas de carvalho francês e americano. Teor Alcoólico de  14%. A coloração é de um granada médio brilhante. Os aromas mostram frutas vermelhas, toques balsâmicos,  tostado, notas de toffee e baunilha. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos macios, repetindo as sensações do olfato. Bom final frutado com o toque balsâmico se mostrando.   Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 395,75, na Vinci.

 

Em agosto de 2006, Francesc Grimalt e Sergio Caballero deram início à Apollonia 4 Kilos em Mallorca, na Espanha, criando uma empresa dedicada à produção de vinhos que refletem a força da uva e suas nuances, mas com uma abordagem e apresentação diferentes do convencional. Joia do Mediterrâneo, a ilha de Mallorca é um dos mais inusitados terroirs do país. Neste local privilegiado — nova fronteira do vinho espanhol — Francesc Grimalt e Sergio Caballero criam minúsculas quantidades de “vinhos complexos e inimitáveis”, nas palavras do Guía Peñin, que escolheu a 4 Kilos — na época com pouco mais de um ano de idade — como “Vinícola do Ano” de 2009! A filosofia por trás desta “vinícola de garagem” é selecionar as melhores uvas de diversos vinhedos de Mallorca e vinificá-las da melhor maneira em cada safra, ajustando a “crianza” de acordo com o estilo de uva que cada safra originou. O nome 4 Kilos vem do investimento inicial na antiga moeda espanhola, as pesetas, ou seja, 4 milhões de pesetas. Um investimento modesto para este setor e que demonstra que um bom vinho não depende de um grande esforço econômico, mas sim de qualidade e da paixão pelo o que se produz. Observação: Francesc Grimalt, antigo diretor técnico da pioneira vinícola Anima Negra, foi um dos responsáveis pelo resgate da quase extinta casta Callet, que confere grande originalidade aos vinhos de 4 Kilos. O nome 4 Kilos vem do investimento inicial na antiga moeda espanhola, as pesetas, ou seja, 4 milhões de pesetas. Um investimento modesto para este setor e que demonstra que um bom vinho não depende de um grande esforço econômico, mas sim de qualidade e da paixão pelo o que se produz.

Apollonia 4 kilos 2009 –Ilha de Mallorca – 60% Callet, 30% Cabernet Sauvignon e 10% Syrah, com  amadurecimento de 14 meses em carvalho francês. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um granada intenso e brilhante. Os aromas mostram amora, cassis,mirtilo, especiarias, toque floral  e um fundo de eucalipto. Na boca apresenta bom corpo, taninos suaves, acidez em equilíbrio, repetindo as sensações do olfato, com um toque mineral presente. Longo final frutado, com o toque mentolado se mostrando. Avaliação: 94/100 Pontos. Preço: R$ 586,56, na Vinci.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.