SOBRE
Osvaldir Castro
Biólogo e Winemaker, ministrando cursos e palestras sobre Vinho (como hobby) e participando de várias confrarias onde, com os amigos, compartilha e troca informações referentes ao tema. Lema: como bom enófilo, Diante de decisões, tomo o vinho.

Os Crus Bourgeois degustados na Confraria do Vinho

IMG-20180219-WA0018

Vamos aos vinhos Crus Bourgeois degustados na Confraria do Vinho de São José do Rio Preto.

A propriedade está nas mãos da mesma família desde tempos imemoriais e sempre foi administrada por mulheres. O atual proprietário , Jean- Hubert Delon , herdou a propriedade de sua avó paterna, Georgette Liquard . Embora perto do rio , Potensac está situado em um ponto alto no Norte de Medoc . Devido a esta posição , o local foi habitado desde os tempos antigos .

Château Potensac 2008 – elaborado com 48%  Merlot, 33% Cabernet Sauvignon e 19% Cabernet Franc, com amadurecimento de 15 meses em barricas. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram groselha, morango amora, alcaçuz e algo terroso. Na boca apresenta um bom corpo, muito equilibrado, com taninos suaves e acidez pontual. Longo final com o alcaçuz se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 413,00, na Mistral.

Os vinhos Château Phelan Ségur têm a sua origem num magnífico terroir de Saint-Estèphe onde o poder predomina. Fortalecido pelas suas origens, Château Phelan Ségur criou a sua identidade baseada na elegância e finesse. Com uma certa contenção e grande precisão, revela a pureza da fruta, a precisão da sua estrutura, a sedosidade de seus taninos, todos com uma frescura natural. Depois do longo envelhecimento, revela um buquê de uma complexidade rara, o carvalho harmoniosamente integrado. Este equilíbrio sutil e autêntico cria uma emoção intensa.

Château Phélan Ségur 2005 – elaborado com 50% Merlot, 47% Cabernet Sauvignon e 3% Cabernet Franc, com amadurecimento de 15 meses em barricas.  Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um rubi escuro e brilhante. Os aromas mostram complexidade, com framboesa, groselha e uma pitada de ervas frescas. Na boca apresenta um corpo médio, com taninos suaves, com madeira presente e acidez equilibrada. Bom final com fumado se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 525,00, na Mistral.

O Château Chasse Spleen, sempre foi considerado um dos melhores Cru Bourgeois. Em recente revisão da classificação, o Chateau resolveu renunciar à esta, por entende-la como injusta frente à qualidade de seus vinhos. Junto com mais 5 produtores também incorformados, formaram um grupo denominado Les Exeptionneles.

Château Chasse Spleen 2006 – elaborado com  55% Cabernet Sauvignon, 40% Merlot e 5% Petit Verdot, vinhas de 30 anos de idade. Amadurecimento de 16 meses em barricas, sendo 40% novas. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um rubi escuro e brilhante. Os aromas mostram  cassis, chocolate, cedro e toques fumados e florais. Na boca apresenta boa complexidade, corpo médio, taninos macios, acidez equilibrada. Bom final com o toque fumado se mostrando. Avaliação: 92/100 Pontos. Preço: R$ 460,00, na Mistral.

Um St-Estèphe belíssimo e delicioso para a Wine Spectator, o Château Les Ormes de Pez é um dos mais clássicos vinhos da denominação. Para Jancis Robinson, que concedeu 16/20 pontos para a safra de 2006, é um tinto um pouco mais delicado, mas que mostra a pura essência de St Estèphe.

Château Ormes de Pez 2006 – elaborado com 58% Cabernet Sauvignon, 36% Merlot e 6% Cabernet Franc, com amadurecimento de 15 meses em barricas. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um rubi profundo e brilhante. Os aromas mostram  complexidade, com cassis, cereja, frutas confitadas, chocolate, alcaçuz, toques fumados e florais. Na boca apresenta boa complexidade, bom corpo, taninos macios, acidez equilibrada, repetindo a complexidade do olfato.  Bom final com o toque de alcaçuz se mostrando. Avaliação: 94/100 Pontos. Preço: R$ 657,00, na Mistral.

Château Poujeaux encontra-se no distrito de Moulis-en-Médoc. É um dos vinhos mais apreciados no Moulis, ao lado de Château Chasse-Spleen. A propriedade foi da família Theil até o início de 2008, quando foi comprada por Philippe Cuvelier, também proprietário do Clos Fourtet. São 52 hectares  e produz cerca de 25 mil caixas por ano. As variedades de uva utilizadas são 50% Cabernet Sauvignon, 40% Merlot, 5% Cabernet Franc e 5% Petit Verdot. Um segundo vinho é produzido, sob o nome La Salle de Poujeaux.

Château Poujeaux 2008 – elaborado com 53% Cabernet Sauvignon, 43% Merlot e 4% Petit Verdot, com amadurecimento de 17 meses em barricas. Teor Alcoólico de 13%. A coloração é de um rubi profundo e brilhante. Os aromas mostram  cassis, cereja, ameixa passificada, cacau, resina, toques fumados e florais. Na boca bom corpo, taninos macios, acidez equilibrada, repetindo as sensações do olfato.  Bom final com o toque de fumado se mostrando. Avaliação: 93/100 Pontos. Preço: R$ 468,00, na Mistral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.