SOBRE
Osvaldir Castro
Biólogo e Winemaker, ministrando cursos e palestras sobre Vinho (como hobby) e participando de várias confrarias onde, com os amigos, compartilha e troca informações referentes ao tema. Lema: como bom enófilo, Diante de decisões, tomo o vinho.

Os chilenos degustados no Clube dos Amigos do Vinho

20191029_153657

A confraria Clube dos Amigos do Vinho de Rio Preto degustou, em sua reunião de outubro, vinhos chilenos. Vamos aos vinhos.

Viña El Principal foi fundada em 1992 pelos sócios Jorge Fontaine, proprietário do Hacienda El Principal, e Jean Paul Valette, enólogo francês, proprietário da Premier Grand Cru Classé Château Pavie em Saint-Émilion. A Viña El Principal é uma pequena vinícola que  possui 90 hectares de vinha, situada no Alto Maipo Vale. Os vinhos de El Principal são feitos exclusivamente com uvas da Andetelmo Estate no Vale do Alto Maipo. Os vinhedos foram mapeados em micro-zonas considerando seu solo, altitude, exposição solar e clima para identificar os bairros mais adequados para produzir a qualidade e o estilo da uva necessária para cada vinho.

El Principal Memorias 2014 – elaborado com 63% Cabernet Sauvignon, 22% Syrah e 15% Petit Verdot, com amadurecimento de 16 meses em  carvalho francês.  Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um púrpura brillhante. Os aromas mostram  cassis, mírtilo, amora negra, menta, tabaco e ervas finas. Na boca apresenta um bom corpo, taninos finos, frescos, acidez pontual e um equilíbrio perfeito com maciez e complexidade, repetindo as sensações do olfato. Longo final frutado com o tabaco se mostrando.  Avaliação: 93/100 Pontos. Preço: R$ 384,00, na Decanter Rio Preto.

Viñedos de Alcohuaz é um projeto pessoal de Marcelo Retamal, um dos mais revolucionários enólogos do Chile e um dos 30 enólogos mais influentes do mundo, pela  revista Decanter. Nos vinhos de VINEDOS DE ALCOHUAZ encontramos vinhos elaborados com as uvas Syrah, Grenache, Carignan, Petite Sirah entre outras. São 100% naturais, com mínima intervenção humana nos vinhedos e na adega, onde as uvas são pisadas em lagares de pedra como no passado. O amadurecimento é em ovos de concreto Namblot ou  foudres de 2.500 litros de carvalho austríaco. São 18 hectares de vinhas, plantadas em 2005 e que agora, de um ano para cá tem mostrado seus resultados, fruto da inovação e visão de futuro do enólogo e de toda a equipe. O projeto orgânico não possui uso de herbicidas, obviamente, buscando a fineza proporcionada pela suavidade do “pisa pé” e não se utilizando de leveduras e nem ácido tartárico. Seria uma vinificação “minimalista”. Além disso, parte do projeto considera o uso de recipientes de argila, colocados abaixo da terra, da mesma forma que a bodega está abaixo da montanha. Alcohuaz é o nome do povo residente na região.

Tococo Syrah de Alcohuaz 2015 – elaborado com 100% Syrah, com amadurecimento de 23 meses em carvalho. Teor Allcoólico de 133%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram grande complexidade, com framboesa , mirtilo, amora, toques florais, cacau e  ervas balsâmicas (alcaçuz e tomilho). Na boca também apresenta complexidade, num bom corpo, taninos firmes , bem integrados ao frutado que repete as sensações do olfato, com algo de pimenta. Longo final frutado com o toque balsâmico se mostrando. Oram produzidas 1245 garrafas. Avaliação: 96/100 Pontos. Preço: R$ 381,00, na Decanter Rio Preto.

Fundada em 1989, no Valle Casablanca, por Thierry Villard, a Villard Estate é a primeira vinha boutique premium do Chile. O patriarca e chefe, Thierry Villard, é um francês que há mais de quarenta anos deixou seu país de origem. Com a mulher se mudou para a Austrália e lá viveram por mais de uma década. Foi lá onde nasceu Jean-Charles, filho do casal que hoje trabalha no negócio da família. Depois de quase vinte anos como “aussies” resolveram se mudar para o Chile, terra natal da Sra. Villard. Atualmente não são proprietários da vinícola de onde vêm seus vinhos. Arrendam as terras de um amigo que também produz os vinhos, segundo a filosofia dos Villards. Produzidos em pequenas quantidades para serem distribuidos no mercado de externo, através dos canais ditos HoReCa (Restauração e Hotelaria de alto nível) e em lojas especializadas, os vinhos da Villard buscam o nicho dos entusiastas do vinho, oferecendo a máxima qualidade para preencher suas expectativas. Desde 2009, participa do Movimento dos vinicultores Independentes do Chile (MOVI). Jean-Charles Villard comandou a degustação dos vinhos na noite de ontem. Vamos a eles.

Villard Tanagra Syrah 2015 – elaborado com 100% Syrah, 3 clones diferentes, com amadurecimento de 20 meses em barricas de carvalho francês (70%) e americano (30%) para 100% do vinho. Fermentação em barricas de carvalho francês de 400 litros. Teor Alcóolico de  13,5%. A coloração é de um rubi intenso, com bordas violáceas e muito brilho. Os aromas mostram frutas vermelhas especiarias finas, menta, chocolate e adorável fundo balsâmico. Na boca apresenta-se bem encorpado, repetindo as sensações do olfato, com taninos finos  bem integrados. Longo final, com o mentolado se mostrando. Avaliação: 93/100 Pontos. Preço, no evento, R$ 435,00, na Decanter Rio Preto.

Apoiado por uma história na cultura vinícola na Espanha, Miguel Torres Chile chega em 1979 para o Vale de Curicó procurando um novo destino. Nesta viagem, além de encontrar excelentes condições climáticas, a família aposta pela inovação na produção de vinho incorporando tanques de aço inoxidável e roble francês. Miguel Torres foi a primeira empresa vinícola estrangeira estabelecida no Chile. Primeira marca de vinho Miguel Torres, após a compra dos primeiros 100 hectares adquiridos pela família Torres no setor Maquehua em Curicó.  Foi em 1985 que as videiras de Cabernet Sauvignon de mais de 115 anos do Fundo Manso de Velasco deu fruto ao vinho ícone de Miguel Torres Chile. Reconhecido mundialmente pela sua qualidade e por representar fielmente ao Cabernet Sauvignon do Chile, Manso de Velasco, é uma homenagem ao ilustre fundador da cidade de Curicó. Hoje, Miguel Torres Chile tem focado o seu compromisso na viticultura orgânica e a certificação Fair Trade em diversos vinhos. Estes avanços têm ajudado a tornar-se uma empresa mais sustentável, mas também para realizar inúmeros projetos sustentáveis.

Manso de Velasco Cabernet Sauvignon  2010 – elaborado com 100% Cabernet Sauvignon, de vinhas com mais de 115 anos, com amadurecimento em  barricas de carvalho francês de Nevers, 50% novas, durante 18 meses. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso e profundo, com muito brilho. Os aromas mostram cereja, framboesa, cassis,  compota de ameixa, figo confitado, cacau, baunilha, cedro, tabaco, couro, notas defumada e balsâmicas. Na boca apresenta um corpo intenso, taninos firmes e maduros completados por uma acidez gastronômica. Repete as sensações do olfato. Longo final frutado,  com o balsâmico se mostrando.  Avaliação: 93/100 Pontos. Preço: R$ 300,00, no Abadesco.

A história da Viña Valdivieso remonta a 1879, quando Don Alberto Valdivieso fundou Champagne Valdivieso, a primeira casa de produção de champanhe Chile e América do Sul. Mais de cem anos depois, no final de 1980, um novo impulso para a produção comercial de vinhos finos como Viña Valdivieso nas caves Lontué, Curico Vale foi dada. Desde então, os vinhos Valdivieso tem tido uma carreira muito bem sucedida, triunfando nos principais mercados e recebendo prêmios maiores em todo o mundo. No entanto, estas conquistas não são um fim em si, mas o resultado da busca de qualidade superior vinhos com selo distintivo e atraente. Nos barris da vinícola em Lontué, no Vale do Curicó, nasce a história de Caballo Loco. Nelas foram guardadas as melhores reservas de safras antigas dos nossos vinhos. Mas em 1994, o destino os levou a misturar, dando origem a um exemplo único. Um vinho que mistura uvas tintas e assemblage, sem precedentes na história da vitivinicultura chilena e inédita até então na América do Sul. Ele foi batizado como CL nº 1 e enviado secretamente para uma das mais importantes competições mundiais de vinhos na França, obtendo o primeiro lugar em sua categoria.Retornando ao Chile, foi dado o início ao seu engarrafamento e o nome Caballo Loco nº 1. Contudo, devido às regras do Chile, seu fundador e o enólogo da Valdivieso, resolveram apenas engarrafar 50% do conteúdo do barril.O sucesso foi enorme e as vendas acabaram rapidamente. No ano seguinte, com a excelente safra, decidiram tentar mais uma vez. Misturaram 50% do Caballo Loco nº 1 com a nova safra e apenas engarrafaram 50% do blend. Sucesso de vendas novamente e assim começa uma tradição! Apenas 17 safras do Caballo Loco foram produzidas nestes 24 anos. O intuito é manter a qualidade acima de tudo. As variações do Caballo Loco surgiram com a ideia de apresentar os diferentes terroirs dele. Você encontra vinhos dos terrois Maipo, Apalta, Sagrada Família e Limari.

Caballo Loco Grand Cru Maipo Andes 2013 – elaborado com : 60% Cabernet Sauvignon e 40% Cabernet Franc, com amadurecimento de 18 meses em barricas de carvalho francês. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um violeta intenso, com muito brilho. Os aromas mostram complexidade, com amora, cereja, ameixa, toques de pimenta, canela, cravo, baunilha, tostado e algo de mentolado. Na boca apresenta um bom corpo, repetindo as sensações do olfato, com taninosa finos e bem integrados. Leve adstringência. Um longo final com frutado e mentolado. Avaliação: 92/100 Pontos. Preço: R$ 280,00, na Abadesco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.