SOBRE
Osvaldir Castro
Biólogo e Winemaker, ministrando cursos e palestras sobre Vinho (como hobby) e participando de várias confrarias onde, com os amigos, compartilha e troca informações referentes ao tema. Lema: como bom enófilo, Diante de decisões, tomo o vinho.

Nova fronteira do vinho paulista

Distante 200 km da cidade de São Paulo, Espírito Santo do Pinhal fica na fronteira com o Estado de Minas Gerais. As características da região foram registradas como favoráveis à viticultura já no início do século XIX pelo botânico francês Auguste de Saint-Hilaire, quando esteve no Brasil.

Uma família de origem ligada ao campo, com espírito inovador e empreendedor, chega em 2001 a uma região tradicionalmente cafeeira e identifica essas condições muito favoráveis à viticultura. Era o começo do sonho que se transformaria na Vinícola Guaspari.  Em 2006, foram plantadas as primeiras videiras, que ocuparam seis hectares. Eram mudas de diversas variedades francesas, escolhidas em virtude das características do terroir da região. Dois anos após o primeiro plantio, a vinícola foi construída. Tendo nascido em uma antiga tulha de café, com projeto que preservou o estilo arquitetônico das antigas fazendas da região, integrou-se à cultura e à estética locais. O respeito ao seu entorno estendeu-se às preocupações ambientais, como o cuidado com a água e com todas as formas de vida.  O primeiro vinho foi produzido em 2008, de maneira artesanal. Foram apenas 30 garrafas, que reforçaram o potencial do projeto. A partir desse momento, não se mediram esforços para trazer para a Guaspari o que havia de melhor no mercado mundial a fim de atingir o nível de excelência desejado. Hoje são 50 hectares de vinhedos próprios  de Cabernet Sauvignon, Pinot Noir e Syrah e as brancas Sauvignon Blanc, Viognier e Chardonnay, a partir dos quais todo o vinho é produzido.

Uma das grandes inovações do projeto da Vinícola Guaspari é a transferência da safra para o inverno, quando o clima – amplitude térmica, insolação e ausência de chuvas – é o ideal, semelhante ao das grandes regiões vinícolas do mundo. A colheita no inverno é possível devido ao manejo de dupla poda: ao invés de uma só poda, são feitas uma poda de formação (imediatamente após a colheita) e, depois, uma poda de produção. A época da colheita  ocorre nos meses de julho e agosto. Os diferentes terroirs que compõem o vinhedo são divididos em parcelas, que são colhidas e vinificadas separadamente. Apenas os melhores cachos são selecionados e colhidos manualmente. Na Guaspari, uma equipe dedica-se durante o ano todo aos mais de 50 hectares de vinhedo, que são totalmente irrigados a fim de garantir o desenvolvimento equilibrado das plantas. Cada estágio do ciclo de vida das parreiras recebe o meticuloso cuidado de profissionais que foram capacitados por técnicos experientes vindos de Portugal, dos Estados Unidos, do Chile e da Austrália.

No mercado, podem ser encontrados os vinhos  GUASPARI SYRAH – VISTA DA SERRA 2011, GUASPARI SYRAH – VISTA DO CHÁ 2011 e VINÍCOLA GUASPARI SAUVIGNON BLANCNos rótulos, uma pomba representando o Espírito Santo, registra a tradição de  uma devoção da família.   Todos os vinhos são de excelente qualidade, que colocam a vitivinicultura paulista em destaque com os melhores vinhos do Brasil. Vale a pena conhecê-los!

Publicado no jornal Bom Dia, em 26/04/2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.