SOBRE
Osvaldir Castro
Biólogo e Winemaker, ministrando cursos e palestras sobre Vinho (como hobby) e participando de várias confrarias onde, com os amigos, compartilha e troca informações referentes ao tema. Lema: como bom enófilo, Diante de decisões, tomo o vinho.

Na reunião festiva do Clube dos Amigos do Vinho (1)

GE DIGITAL CAMERA

Vamos aos primeiros 5 vinhos degustados na reunião festiva da confraria Clube dos Amigos do Vinho de São José do Rio Preto:

 

Villa Matilde é uma das vinícolas mais tradicionais da Campania, líder na produção das mais antiga denominação de origem do mundo: o vinum falernum. Falerno era o vinho mais celebrado pelos antigos romanos, citado por poetas e escritores como Plínio e Cícero. O advogado e cultor de vinhos antigos Francesco Paolo Avallone tinha lido em livros antigos sobre este lendário vinho e decidiu traze-lo de volta à vida: com a ajuda de alguns pesquisadores da Universidade Agraria de Nápoles conseguiu localizar as poucas cepas de videiras sobrevividas à praga da filoxera, as recuperou e reimplantou. Dai começou a historia da vinícola Villa Matilde. Hoje a empresa possui 3 propriedades na Campania onde produz vinhos das D.O.C.s mais prestigiadas da região, como Falerno del Massico (branco e tinto), Greco di Tufo, Fiano di Avellino, Taurasi, e vários IGT (e um ótimo azeite).

Villa Matilde Falerno del Massico 2008 – elaborado com 80% Aglianico e  20% Piedirosso, com amadurecimento de 12 meses, sendo que 1/3 em barricas novas de carvalho francês e o restante em grandes barris de carvalho esloveno. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um  rubi profundo, com muito brilho.  Os aromas mostram frutas negras ,framboesa, cereja, especiarias (noz moscada, cacau) e notas florais. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos presentes mas delicados, repetindo mas sensações do olfato. Bom final com o frutado e o floral se mostrando. Avaliação: 90/100 Pontos.

 

A família d’Aulan elabora vinhos em diferentes regiões vitícolas do mundo, da França – de onde é oriunda – à Hungria e à Argentina, onde criaram a Alta Vista em 1998. A vinícola se localiza no coração de Chacras de Coria, 15 quilômetros ao sul da cidade de Mendoza. é um edifício histórico construído em 1899 que foi renovado em 2003 incluindo as últimas tecnologias vinícolas. Alta Vista possui os melhores terroirs de Mendoza e Salta: 209 hectares divididos em cinco vinhedos, todos acima dos mil metros do ní­vel do mar. Cada um é trabalhado de uma forma especí­fica,  o que é chamado de  Terroir Management. De maneira geral a vinícola se caracteriza por ter tanques de pequeno volume permitindo uma vinificação altamente qualitativa. As cavas subterrâneas, umas das mais lindas da América do Sul, alberga as barricas de envelhecimento dos vinhos Alta Vista.

Alta Vista Alto 2005 elaborado com 75% Malbec e 25% Cabernet Sauvignon, com amadurecimento de 16 meses em barricas novas de carvalho francês. Teor Alcoólico de 15,5%. A coloração é de um rubi profundo e intenso, com ótimo brilho. Os aromas são complexos com frutos negros, especiarias, licor de cassis e chocolate. Na boca apresenta um corpo potente, elegância, com taninos marcantes e bem integrados, sem álcool aparente, apesar de seu alto teor alcoólico. Longo final com o frutado e o chocolate em evidência.  Considerado um ícone da alta gama argentina e quinta-essência de Alta Vista só é produzido  quando as safras o merecem. Um vinho memorável. Avaliação: 93/100 Pontos.

 

A família Pulenta tem sido associada à viticultura Argentina por três gerações. Os filhos do vinicultor Antonio Pulenta e descendentes de imigrantes italianos, Eduardo e Hugo Pulenta, deram vida a Pulenta Estate no ano de 2002, fornecendo experiência e a mais qualificada mão de obra. A tradição, sabedoria e experiência da família, planejada durante os 100 anos desde a chegada de Angelo Pulenta e Palmina Spinssanti na Argentina, vivem hoje na Pulenta Estate. A missão desta bodega é produzir series limitada de grandes vinhos, elaborados com orgulho na Argentina.

Pulenta VII Gran Corte 2011 – elaborado com 43% Malbec, 28% Cabernet Sauvignon, 18% Merlot, 8% Petit Verdot e 3% Tannat, com passagem de 18 meses em barrica de carvalho francês, 100% novas. Teor Alcoólico de 14,5%. A coloração é de um intenso rubi, com muito brilho. Os aromas mostram cereja, ameixa, framboesa, cassis, caramelo, toques de especiarias e baunilha. Na boca apresenta um bom corpo, muita elegância e equilíbrio, com os taninos suaves e bem integrados ao frutado. Um longo final com as frutas e a baunilha em destaque. Avaliação: 92/100 Pontos

 

Viña Casa Slva nasceu em 1997, com Don Emilio Bouchon, a primeira geração chegou ao Chile em 1892, de Bordeaux, St. Emilion, França. Desde esse tempo, ele dedicou à produção de vinho, sendo pioneiro no Vale de Colchagua. Em 1997 que Mario Pablo Silva, filho mais velho da quinta geração, compartilhou com seu pai, Mario Silva, o sonho de produzir vinhos com sua própria marca, se dedicando grande parte de sua vida na recuperação de antigos vinhedos, na adega, e também no ganho de conhecimento sobre terroir do Valle de Colchagua. Pouco depois de seus filhos, Francisco, Gonzalo e Raimundo, seguem contribuindo para o desenvolvimento e gestão integrada da Viña Casa Silva.  Angostura (sede), Lolol, Paredones (próximo ao mar) e Los Lingues (continental) são os terrois da Casa Silva, que se distinguem, possibilitando  ampla adaptação de diversas cepas.

Casa Silva Altura 2008 – elaborado com 40% Carmenere, 30% Cabernet Sauvignon, 15% Syrah e 15% Petit Verdot, do terroir de Los Lingues . Amadurecimento de 14 meses em barricas francesas  e mais 36 meses em caves subterrâneas esperando o momento de seu lançamento no mercado. A coloração é de  um rubi intenso e profundo, com ótimo brilho. Os aromas mostram complexidade e elegância, com frutos vermelhos, amora negra, ameixa seca, especiarias, tostado, café e chocolate. Na boca apresenta um potente corpo, repetindo o complexo olfativo com muita elegância e taninos suaves. Longi final com o chocolate e o café se mostrando. Avaliação: 93/100 Pontos.

 

Enrique Foster está localizada em Carrodilla . Um dos vinhedos fica no distrito “Mayor Drummond” a 900 metros de altitude  e possui uma área de 12 hectares de Malbec, plantada em 1919. Nele introduziu um novo sistema de condução de alta latada e drasticamente reduzido rendimento por hectare para uma maior concentração de sabores de Malbec. O segundo vinhedo está localizado na área de “The Gates”  a 1.067 metros de altitude, com 7 hectares de vinha Malbec de 37 anos. Ambos têm alta densidade de plantação, com mais de 5000 árvores por hectare. Mauricio Lorca é o Winemacker.

Enrique Foster Firmado Malbec 2009 – elaborado com 100% Malbec , com amadurecimento de  15 meses em barricas novas de carvalho francês e 12 meses na garrafa.Teor Alcoólico de 14,5%. É um vinho não filtrado. A coloração é de um rubi escuro, com muito brilho. Os aromas mostram cereja, ameixa, framboesa, especiarias e um toque de madeira. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos potentes, acidez pontual e leve adstringência, com o madeirado se mostrando. Um longo final com destaque à madeira. Avaliação: 91/100 Pontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.