SOBRE
Osvaldir Castro
Biólogo e Winemaker, ministrando cursos e palestras sobre Vinho (como hobby) e participando de várias confrarias onde, com os amigos, compartilha e troca informações referentes ao tema. Lema: como bom enófilo, Diante de decisões, tomo o vinho.

Na reunião festiva da Confraria do Vinho (1)

GE DIGITAL CAMERA

Vamos aos primeiros 5 vinhos degustados na reunião festiva da Confraria do Vinho de São José do Rio Preto:

 

La Brancaia está  localizada na Zona de Chianti Classico em  Morelino di Scansano  desde 1998, possui também vinhedos em Maremma, Martin Kronnenberg e Barbara Kronnenberg-Widmer administram a propriedade desde 2002. Ele é o responsável por sua gestão e pela distribuição mundial dos produtos. Barbara se ocupa da produção, assessorada pelo renomado Carlo Ferrini. Hoje Brancaia é considerada uma das empresas mais importantes da Toscana e, anualmente, recebe prêmios de prestígio a nível nacional e internacional. Seus vinhos são distribuídos com sucesso em todo o mundo.

Brancaia Chianti Classico Riserva 2010 – é produzido com 80% Sangiovese e 20% Merlot com amadurecimednto de 16 meses em barricas de carvalho e mais 8 meses em garrafa. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um rubi intenso com reflexos violáceos. Os aromas mostram ameixa, amora, especiarias e um toque de mineral. Na boca as sensações do olfato se repetem, num bom corpo, com taninos bem integrados e a mineralidade se destacando. Um longo final com fruta e mineral. Avaliação: 91/100 Pontos.

 

Domaine L’Or de linha é uma nova domaine em Chateauneuf du Pape. Foi criada quando os proprietários da  Domaine Saint Benoit se separaram e criaram seus próprios vinhedos. Isso levou à formação da Domaine L’Or de Line pela reunião das famílias Jacumin e Courtil e a criação da Domaine le 3 Cellier, que foi fundada pela Cellier.  Domaine L’Or de linha possui 9 hectares de vinhas na denominação Chateauneuf du Pape, sendo que  7,4 hectares são utilizados para o plantio de uvas  para produção de vinho tinto e os restantes 1,6 hectares são usados ​​para produzir brancos Chateauneuf du Pape.  Grenache é produzida em  vinhas com mais de 75 anos de idade. A partir de 2009, Domaine L’Or de Line começou utilizar apenas técnicas de agricultura orgânica. F oi certificada Agricultura Biológica em 2012.

Domaine L’Or de Line Chateauneuf-du-Pape 2010 – elaborado com  Grenache, Mourvèdre e Syrah. São utilizadas alternadamente duas técnicas de extração suaves para concentrar o melhor da safra. Metade do vinho amadurece oito meses em barris de carvalho e a outra metade em “cuvée”. Teor Alcoólico de  14%.  A coloração é de um  vermelho-rubi com reflexo violáceo brilhante. Os aromas são complexos mostrando cereja, amora, notas terrosas e tostadas. Na boca apresenta um bom corpo com taninos finos, flexíveis,, com sutis notas de café torrado e baunilha. Vinho elegante, com uma bela intensidade e acidez pontual. Longo funal com frutado, café e baunilha.  Avaliação: 90/100 Pontos.

 

A Delas Frères é uma vinícola de tradição e renovação. Fundada há 160 anos, no coração do Rhône norte, ela teve sua energia renovada sob a administração da Maison Louis Roederer, fabricante do magnífico Champagne Cristal. O resultado dessa parceria pode ser visto nos grandes vinhos produzidos desde então. Delas Frères opera 30 hectares de vinhas, distribuídos por 10 hectares no Hermitage, 2 hectares no São José AOC e 18 hectares no Crozes-Hermitage. Os variados tipos de terreno e microclimas da região conferem particularidades únicas a estes vinhos e, em uma safra tão especial quanto esta, o resultado foi a perfeição, onde o Delas Hermitage Les Bessards 2009 obteve o score perfeito, 100 pontos na mais recente avaliação de Robert Parker.

Delas Frères Crozes Hermitage des Grands Chemins 2011 – elaborado com 100% Syrah, com amadurecimento de 14 meses em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 14%. A coloração é de um granada intenso, com muito brilho. Os aromas mostram cereja, amora, groselha, toques de fumo e alcaçuz. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos firmes e bem integrados ao frutado. Muito equilibrado. Um agradável final frutado. Avaliação: 90/100 Pontos.

 

A Hess Family Estates é um grupo suiço que se dedica a produzir vinhos em 4 continentes. Sempre em busca dos terroirs perfeitos, o grupo busca produzir o estilo de vinho que melhor se adapta a cada região. Para isto ela busca sempre os melhores enólogos e sempre mantém qualidade sobre quantidade, usando a famosa precisão suiça na elaboração de ótimos rótulos. São sete adegas localizadas na Argentina (Amalaya, Colomé), Estados Unidos (Napa, Sonoma, Russian River), Austrália (Peter Lehman)e África do Sul (Glen Carlou).

Sequana Santa Lucia Highlands Pinot Noir 2009 – elaborado com 100% de Pinot Noir, a partir de vinhedos de 10 anos, com amadurecimento de 11 meses em barricas de carvalho francês (40% novas) sobre as lias. Teor Alcoólico de 15%. A coloração é de um rubi brilhante com reflexos granada. Os aromas mostram frutas intensas (morango, framboesa, cereja) , especiarias finas, toque floral e leve tostado. Na boca as sensações do olfato se repetem, com os taninos suaves e bem integrados. Bastante equilibrado. Leve amargor e acidez pontual. Um agradável final, com o frutado  se mostrando. Avaliação: 93/100 Pontos.

 

Em 1538, a princesa Margherita da Áustria casou-se com o príncipe Farnese e, ao visitarem a cidade de Ortona, ficaram encantados com o lugar e o clima. Decidiram, então, dedicar-se à produção de vinhos finos que logo estariam presentes nas cortes européias. Em reconhecimento a essa fama, o nome foi conservado até hoje. Seus vinhos são produzidos para agradar o cliente internacional: 90% são exportados, sempre com excelente custo-benefício.A Vini Farnese possui vinhedos em duas regiões. Possibilitando a extração do melhor de cada uva combinada aos diferentes terroirs. Montepulciano, Primitivo, Sangiovese, Negroamaro e Malvasia Nera são uvas que exemplificam bem este ótimo aproveitamento das diferenças entre a região de Abruzzo e Puglia.

Vini Farnese Edizione Cinque Autoctoni 2010 – elaborado com 33% Montepulciano, 30% Primitivo, 25% Sangiovese, 5% Malvasia Nera e 7% Negroamaro, com amadurecimento de 12 meses em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 14,6%. A coloração é de um rubi intenso, com reflexos granada e muito brilho. Os aromas mostram frutas vermelhas, sutis notas de tabaco, canela, cravo, cacau, alcaçuz e chocolate. Na boca apresenta um bom corpo, com taninos suaves, bem integrados e uma adstringência acentuada. Bom final com frutas e chocolate. Avaliação: 88/100 Pontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.