SOBRE
Osvaldir Castro
Biólogo e Winemaker, ministrando cursos e palestras sobre Vinho (como hobby) e participando de várias confrarias onde, com os amigos, compartilha e troca informações referentes ao tema. Lema: como bom enófilo, Diante de decisões, tomo o vinho.

Degustação de italianos do sábado na Bekaa

20190928_111659

Uma degustação especial,  com vinhos italianos,  marcou este sábado na Bekaa. Sob o comando da Mariane,  foram degustados vinhos oferecidos a preços especiais aos participantes, como tradicionalmente a Bekaa faz nas degustações do sábado. Vamos aos vinhos.

O pequeno “laboratório” nascido em Valgatara em 1945, graças ao trabalho de Michele Castellani, o fundador, se transformou, graças aos importantes investimentos em vinhedos e equipamentos de seus sucessores míopes, em uma moderna adega funcional de cerca de 40 hectares de vinhedos, entre propriedade e gerenciamento direto.Sergio Castellani, com sua esposa Maria, continua o negócio de vinhos, dirigindo os negócios da família em todas as fases que caracterizam a produção do vinho, acompanhado por seus filhos Michele, na adega, Martina, para o setor administrativo, e Mara, por o setor comercial e de comércio exterior. Uma família inteiramente comprometida com a elaboração dos vinhos clássicos do veronese. As uvas provêm de 40 hectares de vinhedos postados na nobre zona colinar de Marano. Na cantina a tecnologia é de ponta e interfere apenas o necessário para a concepção de vinhos que aliam a tradição com a modernidade, a potência das uvas passificadas com classe e definição” – Elaboração: “colheita no final de setembro, com seleção dos menores cachos com uvas perfeitamente maduras, mais expostos ao sol, que são colocados em caixas perfuradas para a desidratação (em apenas uma camada). A desidratação, com perda de 45% do peso da uva, ocorre de outubro a janeiro em fruttaio: salas amplas com muitas janelas para ventilação. As uvas atacadas pela Botrytis neste processo são eliminadas. Terminada a passificação, procede-se a prensagem e a fermentação, que se arrasta por 50 dias em contato com os sólidos, em tanques de inox. Descuba e passagem do vinho para o envelhecimento em madeira”.

Michele Castellani Amarone Classico I Castei 2014 – elaborado com 70% Corvina Veronese, 20% Rondinella, 5% Molinara e 5% Castas Antigas típicas da Região.com amadurecimento de 30 meses em barricas de carvalho francês de média tostagem. A coloração é de um vermelho rubi intenso, com reflexos granada. Os aromas mostram muita intensidade  com notas de compota de cereja preta, ameixas e figos, flores vermelhas maceradas, cacau, couro, allcaçuz e toques de  chocolate escuro. Na boca as sensações do olfato se repetem, com taninos potentes, acidez equilibrada  e álcool bem integrado. Longo final com as compotas se manifestando. Avaliação: 92/100 Pontos.  Preço: R$ 376,80.

A Companhia  Cooperativa Agrícola de Pliniana,   fundada em 1964 por apenas  produtores de uva,  está localizada em  Manduria,  na província de  Taranto, Apúlia . A  Cooperativa Agrícola de Pliniana  foi fundada por iniciativa de um grupo de apenas membros  produtores de uva,  com o objetivo de reduzir ao máximo a cadeia de suprimentos e dar maior importância à fase de produção. Há mais de 50 anos, a  Pliniana  consegue criar, inovar, confirmar e continuar sem interrupção em seu processo de crescimento. Até o momento, a  vinícola  tem mais de 570 parceiros agricultores operando na área  DOC Primitivo di Manduria  e é certamente uma das realidades de produção mais importantes em toda a área. A produção total  de uvas  Cantine Pliniana vem da planície de  Manduria , de solos pobres, calcários e de textura média. 85% das vinhas referem-se a vinhos tintos, sendo 70% reservadas ao  Primitivo di Manduria   (nas várias indicações de origem DOC, DOCG, DOP, IGP) e o restante a outras uvas vermelhas  Negroamaro ,  Malvasia Nera , Sangiovese . A percentagem de videiras para vinhos brancos é de 15% e consiste nas seguintes variedades:  Chardonnay, Malvasia branco, Fiano, Moscato e Sauvignon .

Pliniana Juvenis Primitivo di Manduria 2017 – elaborado com 100% Primitivo, com amadurecimentode 3 meses em carvalho. Teor Alcoólico de  14,5%. A coloração é de um rubi intenso e profundo, com reflexo púrpura. Os aromas mostram cassis, amora, geleias, tabaco, chocolate, alcaçuz, café, couro e cedro. Na boca apresenta um bom corpo, repetindo a complexidade do olfato, com taninos potentes e bem integrados, acidez em equilíbrio e toque mineral. Longo final com chocolate e baunilha se mostrando. Avaliação: 91/100 Pontos. Preço: R$ 138,40.

Umberto Cesari iniciou, na década de 1960, com 20 hectares de vinhedo bem no coração da Emilia Romagna,  o seu trabalho. Com o passar dos anos, ele conseguiu acrescentar outros vinhedos, diferentes variedades de uvas e novos vinhos, como Sangiovese, Albana, Pignoletto e Trebbiano, além de algumas variedades internacionais, Chardonnay, Cabernet Sauvignon e Merlot. Seis propriedades separadas, 175 hectares de vinhedos, completamente reestruturados. As seis propriedades – Ca ‘Grande, Liano, Laurento, Tauleto, Casetta e Parolino – possuem qualidades e personalidades individuais, incluindo o verdadeiro tesouro da vinícola.

Umberto Cesari Love Trebbiano di Romagna 2016 – elaborado com 100% Trebbiano Romagnolo, a partir de vinhedo com idade média de 20 anos. Amadurecimento de 3 meses em tanques de aço inox. A coloração é de um amarelo limão, com muito brilho. Os aromas mostram frutas cítricas, maçã, maracujá e algo floral. Na boca o frutado se repete, com um toque acentuado de acidez, que lhe confere um frescor agradável. Bom final com o cítrico se mostrando. Avaliação: 88/100 Pontos. Preço: R$ 69,60.

Criada no ano de 2008, a Collis Group, Collis-Riondo ou Cantine Riondo, como é comumente reconhecida, é verdadeiramente uma realidade no que se refere a um grande produtor de vinhos. É a maior e mais importante na sua região de origem, o Veneto, ao nordeste da Italia. Bem mais do que um produtor, ela é uma grande cooperativa detentora de muitas marcas e de muitos hectares, a qual abrange todas as principais áreas produtoras de vinho desta referida localidade; da região de Valpolicella, ao norte de Verona, à região de Soave, que fica a leste desta mesma cidade, estendendo – se até as províncias de Vicenza e Pádua, onde o Prosecco é cultivado. A uva Glera, da Cantine Riondo é também colhida no Trento, uma região que produz espumantes com excelência, a exemplo do famoso FERRARI. O grupo possui uma área vitícola impressionante de 6000 hectares, representando 15% do total dos vinhedos do Veneto, os quais são cultivados e cuidados meticulosamente pelas mãos de 2.400 agricultores. As principais uvas plantadas são: as autóctones Garganega, Pinot Grigio e Glera, além da Chardonnay para a vinificação de vinhos brancos; Corvina (casta veneta), Merlot e Cabernet Sauvignon para os vinhos tintos.

Riondo Merlot 2017 – elaborado com 100% Merlot, sendo que uma parcela das uvas é seca antes da vinificação. A outra parcela segue para maturação e secagem sob condições controladas de temperatura e umidade. A vinificação ocorre sob o “tanque tecnológico” onde as cascas vão continuamente se misturando pela força do dióxido de carbono, a fim de extrair cor e taninos. Uma parcela do vinho resultante passa por afinamento em aço inoxidável e a outra parcela em grandes barris de carvalho por 12 meses. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um rubi intenso e brilhante. Os aromas mostram morango, ameixa, notas picantes, toques de cravo e chocolate. Na boca apresenta um bom corpo, repetindo as sensações do olfato, com taninos suaves e acidez equilibrada. Longo final frutado com o chocolate se mostrando. Avaliação: 90/100 Pontos. Preço: R$ 100,00.

Eu vou sair. Eu me tornarei cantor e quando voltar, vou construir um porão para dedicar a você. ” Al Bano deixou a pequena cidade de Cellino San Marco , localizada no coração de Salento,  dizendo esta frase a seu pai, Don Carmelo. A promessa foi cumprida Assim nasceu a Cantine di Al Bano Carrisi , na paisagem verde de Cellino San Marco, no coração de Salento, onde o cantor Al Bano construiu sua vinícola, em uma de suas propriedades. Uma antiga aldeia entre bosques, vinhas e olivais, tudo a poucos quilômetros do Mar Adriático e do mar Jônico . A história passou pela terra que hoje, é propriedade da família Carrisi, existe o absoluto respeito de uma natureza. Das adegas do cantor Al Bano Carrisi, os vinhos são produzidos de maneira genuína , para as mesas do mundo todo. Hoje a adega produz 10 linhas de vinho, grappa,  espumante e um excelente azeite. Os vinhos variam entre os tintos, rosés e brancos, obtidos em vinhas entre os 40 e os 75 anos, incluindo Primitivo, Negroamaro, Salice Salentino, Chardonnay e Aleatico.

Salice Salentino Rosso 2016 – elaborado com Negroamaro 85% e Malvasia Nera di Brindisi 15%, vinhas de 40 anos,  com amadurecimento de 6 meses em barricas de carvalho. Teor Alcoólico de 13,5%. A coloração é de um intenso e brilhante rubi. Os aromas mostram ameixa, cereja , notas florais e ervas secas. Na boca apresenta um bom corpo, taninos macios e bem integrados ao frutado, acidez pontual e um toque floral. Bom final com ótimo frutado. Avaliação: 88/100 Pontos. Preço: R$ 79,20.

O grupo Aráldica é um dos mais importantes no cultivo, produção e distribuição de vinho no Piemonte. A Cooperativa Aráldica  tem cerca de 200 membros, que cultivam mais de 900 hectares de vinhedos. Junto com variedades tradicionais e nativas, como Barbera, Dolcetto, Nebbiolo, Cortese, Moscato e Arneis, também crescem a Brachetto menos comum e Freisa ao lado das mais cosmopolitas como Merlot, Cabernet e Chardonnay. Os vinhedos estão localizados em zonas de maior importância do Langhe, Monferrato, Roero e Gavi. A adega original foi fundada em 1954, com o nome de Cantina Sociale di Castel Boglione, eo vinho era armazenado em tanques de concreto. Nos anos 60 e 70, os tanques de concreto foram substituídos por tanques de aço e de carvalho e mudou seu nome para  Ancient County Castelvero , devido ao deslocamento da adega na mesma área de residência dos Condes de Castelvero. Hoje todas as uvas que são utilizados na produção de vinhos Heráldica são  processadas em Castelvero.

Araldica Alasia Dolcetto D’Asti 2016 – elaborado com 100% de Dolcetto, passagem de 5 meses em cubas de inox. Teor Alcóolico de 13%. A coloração é de um intenso e brilhante rubi, com média transparência e halo violáceo. Os aromas mostram frutas negras maduras (amora, groselha e cereja), sobre notas especiadas de alcaçuz. Na boca apresenta corpo leve, taninos macios  e grande adstringência. O final é até longo, com frutado e uma pontinha de amargor.  Avaliação: 89/100 Pontos. Preço: R$ 98,40.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.