SOBRE
Osvaldir Castro
Biólogo e Winemaker, ministrando cursos e palestras sobre Vinho (como hobby) e participando de várias confrarias onde, com os amigos, compartilha e troca informações referentes ao tema. Lema: como bom enófilo, Diante de decisões, tomo o vinho.

Castas (R e S)

 

Refosco

Refosco é variedade de uva vermelha cultivada em Friaul, Veneza, Emilia-Romagna, na Eslovênia e Croácia. Os romanos já cultivavam essa uva. A variante mais fina é a Refosco dal Penduscolo Rosso. Os vinhos produzidos a partir da uva Refosco são de diferentes qualidades, podendo dela resultarem vinhos finos de alta qualidade como também vinhos de mesa. Dizem que a Refosco dal Peduncolo Rosso seria idêntica à Mondeuse de Savóia.

Refosco dal Peduncolo Rosso

Refosco dal Peduncolo Rosso é uma variedade de uva vermelha cultivada em Friaul, na Itália. É uma variante da uva Refosco, possuindo um caule vermelho, originando a denominação. O vinho resultante da uva Refosco dal Peduncolo Rosso é escuro, forte, ácido e rico em tanino. Também pode ser encontrada na Croácia e na Eslovênia, sendo chamada de Teran Crvene Peteljcice.

Regent

Regent é uma variedade de uva vermelha de melhor resultado de cruzamento artificial. Foi criada em 1967 no Instituto de Geilweilerhof, na Alemanha, a partir do cruzamento da uva  Diana (Silvaner x Müller-Thurgau) e Chambourcin, sendo reconhecida oficialmente em 1996. É resistente a insetos, mas não resiste ao clima úmido.  Vinhos tintos da uva Regent são vermelho escuros com um buquê decente e forte de tanino e lembra as uvas do sul da França, podendo ser colocados em barricas. O Regent Rosé também é excelente. É espécie cada vez mais requisitada, especialmente na Alemanha, Suíça e Holanda. A autorização na União Européia gerou discussões em Bruxelas, já que os híbridos são proibidos, e a Regent tem origem no híbrido Chambourcin. Espécies de uvas mais resistentes são ecológicas, pois independem de proteção e fazem o vinho mais acessível à população.

Riesling

O Riesling é o rei das uvas brancas. Ao contrário da maioria dos vinhos brancos, o Riesling é adequado para o envelhecimento. Após décadas, o extrato e o ácido de frutas desenvolvem-se positivamente, aumentando o caráter do Terroir. O vinho Riesling possui baixo teor alcoólico. No mundo, há cerca de 500Km2 de área cultivada com a uva Riesling, quase a metade na Alemanha. No entanto, a denominação Riesling aparece em muitas espécies que não têm parentesco com essa uva, tal o caso da Riesling Italico, Cape Riesling, Laski Ritzling, Welschriesling, Riesling Forte e muitas outras. Muitas resultam do cruzamento da Riesling com outras espécies.O melhor vinho Riesling advém de vinhedos de clima frio e ensolarado, amadurecendo rapidamente, daí que essa uva pode ser cultivada também em zonas quentes, como a Austrália, mas é colhida ainda antes de desenvolver seus aromas típicos. O vinho fica melhor se produzido em baixa temperatura, não perde a acidez, não for colocado em barricas e for envasado rapidamente. O Riesling jovem é amarelo-esverdeado, enquanto, se envelhecido, torna-se amarelo-ouro. Seu buquê lembra rosas e pêssegos, tornando-o de fácil identificação. O frescor da juventude é substituído pelo tom de amêndoa e do chamado Petroleum. Muito conhecido é o Riesling Würzburger Stein, que, com a idade de 421 anos deve ser ainda excelente!O Riesling é geralmente seco. Há também vinho de sobremesa, como o Trockenbeerenauslese e o Eiswein, graças à Botrytis cinerea.

Riesling Renano

A uva na Itália denominada  Riesling Renano, significa Rheinriesling e é idêntica á Riesling.

Riesling-Sylvaner

Riesling-Sylvaner não tem parentesco com a uva Sylvaner, conforme provaram os testes genéticos.  Os problemas relativos à denominação dificultam determinar a origem dessa uva.

Rivaner

Rivaner é uva branca também denominada Müller-Thurgau. A uva Rivaner tem muito potencial. Não advém da espécie Riesling-Sylvaner.

Rolle

A uva branca Rolle é cultivada no sul da França. Presume-se que essa uva seja idêntica à Vermentino cultivada na Sardinha. Os vinhos produzidos a partir dessa uva possuem um caráter forte, são encorpados e possuem suficiente teor ácido. Em Languedoc – Roussillon ganha em importância com o corte com a Grenache Blanc, especialmente na Provence.

Rondinella

A uva vermelha Rondinella é cultivada na região do Vêneto e da Lombardia. É parte nos vinhos tintos  Valpolicella, Bardolino, Amarone e Recioto. Não é utilizada sozinha, pois lhe falta caráter.

Roussanne

A uva branca Roussanne possui casca cor de ferrugem, que lhe atribui esse nome (fr. roux = ferrugem). Os vinhos, em função da acidez acentuada, são apropriados para a armazenagem e para o corte com o Chardonnay, Marsanne e Rolle. Seu aroma característico é de ervas. É exigente quanto ao cultivo, sendo encontrado na França, Itália e espanha. Tem potencial quando serve de uva única para a produção de vinhos. Essa uva faz parte do Châteauneuf-du-Pape branco.
Vem sendo experimentada em cruzamentos na África do Sul e na Califórnia.

Ruländer

A uva branca Ruländer deve ser nome ao comerciante alemão Johann Seger Ruland, que viveu de 1683 a 1745 em Speyer (Rheinland-Pfalz) . Em 1709, ele plantou em seu jardim duas videiras dessa uva, que trouxe, provavelmente, de Burgund, da França.  Ele ficou tão apaixonado pela uva, que passou a comercializá-la. Por isso essa uva também é conhecida como Speyerer, além de Grauburgunder, Pinot Gris  (França) e Pinot Grigio (Itália).

Saint Laurent

A uva vermelha Saint Laurent tem origem francesa e é muito utlizada na Áustria, como também na Alemanha (Pfalz), República Tcheca e Croácia. Os vinhos são suaves e aromáticos, semelhantes ao Spätburgunder, e envelhecem bem. Após a análise genética, chegou-se à conclusão que a Saint Laurent resultou de um cruzamento natural de uma espécie de Burgunder com uma desconhecida.

Sangiovese

Até os etruscos já cultivavam a uva vermelha Sangiovese (foto). Foi mencionada quando Giocanvettorio Soderiniem a descreveu como um enriquecimento para o vinho de primeira classe. Em 1738, Cosimo Tranci, disse que este espécie é um pouco azeda e dura, mas excelente para o corte (mistura). O conde Bettino Ricasoli formulou a receita do Chianti, na qual a uva Sangiovese é misturada com uma pequena parte da uva tinta Canaiolo, branca Trebbiano e branca Malvasia. Hoje a Sangiovese serve ao corte com a Mammolo e Colorino, mas apenas para lhe atribuir maior colorido, pois  um Chianti tem que ser produzido por, no mínimo, 90% da Sangiovese. A Sangiovese serve sozinha ou como base a muito vinhos tintos da Toscana:  sozinha para o Brunello di Montalcino e como base para  Chianti, Vino , Nobile di Montepulciano e a maioria dos super toscanos (Super Tuscans). É cultivada na Itália central, na Umbria, Marche, Latium e na ilha Elba. Algumas de suas variações possuem nomes bem diferentes, como Brunello ou Prugnolo.
A Sangiovese  se adapta bem a regiões quentes. Quanto mais umidade e frio, maior a quantidade de tanino e acidez. Por essa razão, combina bem com a Cabernet-Sauvignon, a deixando o Terrain. é o caso do famoso vinho Sassicaia, um Cabernet-Sauvignon como o Vino da Tavola.A Sangiovese amadurece tarde e lentamente e deve ser cultivada preferivelmente em regiões secas. O vinho Sangiovese é seco, leve teor de tanino, com um buquê típico de cereja azeda, com um toque amargo e cor intensiva vermelho rubi. Quando madura, produz um aroma de ameixa e flores de frutas vermelhas silvestres. Sangiovese é a variedade mais cultivada na Itália, cobrindo 10% da área total de vinhedos, mais de 100.000 hectares. Também  pode ser encontrada na América do Sul, principalmente na Argentina, Califórnia, França, Argelia, Tunísia e Romênia. Acredita-se na lenda de que Júpiter pune quando, no cultivo da Sangiovese, a quantidade vir antes da qualidade, de modo que  o vinho Sangiovese contém um ácido desconfortável, sua cor é de um vermelho de pálido a amarronzado e ainda dá dor de cabeça no próximo dia, onde mil pequenos Júpiters dançam!

Sauvignon

A uva branca Sauvignon tem seu forte no buquê, que, dependendo da região de cultivo, deixa o vinho com o aroma de frutas vermelhas, grama, frutas verdes e ervas. É vinho importante para os iniciadores da apreciação através da degustação, para treinar o nariz. Sauvignon Blanc é uva originária da França, originada a partir do cruzamento natural entre a Traminer e uma espécie desconhecida. A Sauvignon branco foi cruzada com a uva vermelha Cabernet Franc, que deu origem à Cabernet Sauvignon. Há algumas mutações conhecidas, como a Sauvignon Gris, Sauvignon Jaune, Sauvignon Musque, Sauvignon Noir, Sauvignon Rose e Sauvignon Violet.Hoje o cultivo concentra-se na região do vale do Loire, sevindo à produção de vinhos brancos secos e frescos como o Sancerre e Pouilly-Fumé, que se prestam à armazenagem. Em Bordeaux, essa uva é misturada com a Sémillon, a partir das quais são produzidos os excelentes vinhos Graves e Sauternes. Essa também se adaptou à Argentina, Chile, Nova Zelândia, África do Sul e, principalmente, Califórnia, onde também é chamada de Loire Blanc Fumé. Com 610 Km2 de área cultivada, a Sauvignon está entre as 25 espécies mais importantes.

Sauvignon Blanc

A uva branca Sauvignon Blanc também é chamada de Blanc Fumé, Muskat-Silvaner ou apenas Sauvignon. O elemento forte da Sauvignon Blanc é o seu aroma. Após a Chardonnay, é a segunda uva branca mais importante.

Scheurebe

A uva branca Scheurebe é um dos cruzamentos artificiais de sucesso do século XX. O suíço, Dr. Georg Scheu, a criou em 1916, do cruzamento entre a Silvaner e Riesling.  A análise genética, no entanto, demonstrou que a Riesling está presente, mas não a Silvaner. Acredita-se que a outra deve ser selvagem. Essa uva amadurece tarde e exige cuidados. Se a uva amadureceu completamente, os vinhos produzidos são excelentes, com acidez harmônica e aroma de cassis e, algumas vezes, de grapefruit doce. Quando utilizada para a produção de Beerenauslese ou Trockenbeerenauslese, os resultados são maravilhosos. É espécie mais cultivada na Alemanha (27 km² ou 3% dos vinhedos) e na Áustria, para a produção do Sämling 88.

Schwarzriesling

A uva vermelha Schwarzriesling não tem relação com a Riesling, como foi demonstrado pela análise genética. Tem relação com a Pinot Noir, que tende a mutações e pertence à família Burgunder.  Na França, é denominada Pinot Meunier (Meunier = moleiro), na Alemanha, Müllerrebe. O nome deve-se à parte de baixo da folha, que parece ter sobre ela uma camada de farinha. Ocupa cerca de metade da área de vinhedos em Champagne, onde é utilizada para a produção de Champagner. Na Austrália é produzido vinho tinto dessa uva pura e, na Califórnia é  produzido espumante. Comparada à Spätburgunder, a Schwarzriesling tem maior teor de ácido e produz vinho claro, com aroma de frutas e cor tendente à terracota

Sciacarello

Sciacarello é espécie de uva vermelha da Córsega, especialmente em Ajaccio e Sartène. Também é conhecida como Schiuchetadiuru, Montanaccio, Schiorello e Sciaccarello. É espécie muito antiga, com mais de 2.000 anos.  Seu vinho escuro tem aroma de ervas. Serve ao vinho tinto e ao rosé. è misturada à uva Nielluccio.

Sémillon

A uva branca Sémillon pertence a uma das mais finas e é cultivada em 500 km² no mundo. É originária da França, no sul, especialmente em Bordeaux. Da Sémillon são produzidos vinhos secos, assim como doces finos, chamados pourriture noble. A casca fina da uva a torna pouco resistente aos problemas típicos dos vinhedos, como os fungos e a Botrytis. Se esse fungo atacar a uva no estágio de amadurecimento, os vinhos são maravilhosos, como o Sauternes. Esse vinho geralmente é composto de 80% de Sémillon e 20% de Sauvignon.  É o aroma do Sauvignon que cobre o aroma de frutas cítricas e de cera de abelhas na assemblage. Sémillon é encorpado e possui acidez suficiente para amadurecer o Sauternes durante décadas. A Austrália cultiva a uva Sémillon em grande quantidade, enquanto a África do Sul, no século XIX, cultivava essa uva em 90% dos vinhedos, chamando-a Wyndruif» (Weintraube). Hoje decaiu a produção em função da concorrência com o Sauvignon e o Chardonnay. Geralmente esses  países não aproveitam a possibilidade de produzir vinhos doces finos quando ocorre o apodrecimento necessário, para não correrem o risco de perder os vinhedos. A uva Sémillon pode ser encontrada na Argentina, Chile e Nova Zelândia. Na Austrália, o corte da Chardonnay com a  Sémillon resulta na produção do vinho SemChard.

Servan

Servan é espécie de uva originária da França. Em Savóia, é cultivada em pequenas quantidades na Isère. Também é denominada Petite Mondeuse, Persagne Douce, Servanin e Servagnin.

Seyval Blanc

A uva branca Seyval Blanc é um cruzamento artificial entre dois híbridos de Seibel. Seyval Blanc amadurece rápido e é muito resistente ao frio, às pragas e à umidade. Por isso, essa uva é a segunda espécie na Inglaterra e é cultivada no Canadá e no nordeste dos Estados Unidos. Deve ser bem podada para garantir a qualidade do vinho. A Seyval Blanc deve não deve ser colhida muito madura, para não perder a acidez. O vinho lembra a Gutedel (Chasselas).

Shiraz

Shiraz é a espécie de uva vermelha australiana e sul-africana correspondente à Syrah na França. Em 1833, esta espécie chegou ao novo continente através de James Busby, mas era conhecida como Scyras. Somente mais tarde passou a ser denominada Shiraz. A Shiraz e a Syrah são diferentes se cultivadas  em solo europeu ou australiano e também em função do método de produção, que é mais pragmático na Austrália, desvinculando-se um pouco dos padrões rigorosos e tradicionais europeus. Isso não significa que não haja vinhos excelentes no novo mundo a partir dessa uva.

Silvaner

A uva Silvaner é muito antiga e é originada, provavelmente, da Áustria. No século XVII, os monges a levaram para a Alemanha, onde hoje é cultivada. Há indícios de que os romanos conheciam essa uva. Segundo a análise genética, deve ter se originado do cruzamento natural entre a Traminer e a Österreichisch-Weiss (branca austríaca), que tem origem na branca Weisser Heunisch. O vinho resulta amarelo claro, suave e neutro. Se o local do cultivo for excelente, o vinho é elegante, forte e regional e seu buquê lembra  frutas silvestres. Até os anos 70, essa uva ocupava 30% da área alemã, como a mais produzida, até perder para a concorrente Müller-Thurgau. Pode ser encontrada na Elsácia, Áustria e Suíça, conhecida por Sylvaner.A Silvaner verde ou Grüne Silvaner é ótima para os cruzamentos com a Scheurebe, Bacchus, Optima, Ehrenfelser e Rieslaner , por exemplo. A uva vermelha Blaue Silvaner (azul) e  a weisse Senator (branca) são mutações da Silvaner verde.

Solaris

A uva branca  Solaris é o resultado de um cruzamento entre a  Merzling e a GM6493. As uvas são doces, e os vinhos fortes e ácidos. O amadurecimento é rápido e é espécie resistente, sendo cultivada nos alpes suíços e em Baden, na Alemanha

Sylvaner

Sylvaner é a uva Silvaner ou Grüner Silvaner, como se denomina na Elsácia, Áustria e Suíça.

Fonte: Adega 24

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.