SOBRE
Osvaldir Castro
Biólogo e Winemaker, ministrando cursos e palestras sobre Vinho (como hobby) e participando de várias confrarias onde, com os amigos, compartilha e troca informações referentes ao tema. Lema: como bom enófilo, Diante de decisões, tomo o vinho.

Castas (N,O e P)

 

Nasco

A uva branca Nasco cresce na Sardenha, dando orgigem pura ao vinho branco  Nasco DOC, este de quase 200 localidades das províncias Cagliari e Oristano. Esse vinho pode ser seco (secco ou dry) ou doce ou ainda  Liquoroso, com cerca de 18% de álcool, doce ou seco.

Nebbiolo

Nebbiolo (foto) é uma variedade de uva fina, que praticamente só é cultivada no Piemonte. Os grandes nomes advindos da uva Nebbiolo, sem corte (mistura), são os internacionalmente conhecidos: Barolo, Barbaresco, Roero e Nebbiolo d’Alba. No século XIX, o enólogo Louis Oudart desenvolveu o cultivo da Nebbiolo ao ensinar como fazer o cultivo seco dessa uva aos moradores da região do Piemonte. Desde então passou a crescer o número de apreciadores da uva Nebbiolo. Essa uva já era muito valorizada na Idade Média. Há cerca de 500 anos, mais precisamente no ano de 1431, em La Morra, a pena pecuniária mais alta era aplicada para os furtos da uva Nebbiolo. Em caso de reincidência, a pena era nada mais, nada menos do que a amputação da mão!As tentativas de cultivar a Nebbiolo fora do Piemonte restaram infrutíferas. Talvez esse fato tenha alguma relação com a denominação dessa uva e a sua sensibilidade para o clima: “Nebbia“ significa névoa. Acredita-se que a casta Nebbiolo que amadurece tardiamente necessita da névoa matinal para se desenvolver, típica do Piemonte.

Negroamaro

Negroamaro é variedade de uva tinta cultivada na província italiana de Apulia, ocupando 300 km². Dela são produzidos excelentes vinhos rosé e tintos propícios ao armazenamento. Serve ao corte por conter alto teor de álcool.

Nerello

Nerello é variedade de uva tinta da Sicília e da Calábria. Resulta em um vinho tinto neutro e sem nenhum toque especial. Os rosés são qualitativamente melhores. Serve ao corte (mistura), especialmente com o Nero d’Avola.

Nero d’Avola

Nero d’Avola é variedade de uva vermelha de alta qualidade, produzida na Sicília. Sua origem deve estar na Calábria, como mostram suas diferentes denominações: Calabrese de Calabria e Calabrese d’Avola. o nome Nero d’Avola vem da cidade de Avola, da província de Siracusa. Da Nero d’Avola são produzidos os vinhos de maior qualidade do sul da Itália. São escuros, fortes e com alto teor de álcool, própios para a barrica ou barris de madeira. São vinhos  de Nero d’Avola: Faro DOC, Marsala DOC e Cerasuolo di Vittoria DOC.

Nielluccio

Nielluccio é variedade de uva vermelha da Córsega, idêntica ao Sangiovese, como acreditam alguns. Os genoveses provavelmente introduziram a Nielluccio na ilha, já que eles dominaram a Córsega até o século XVIII.  Nielluccio amadurece tarde e não resiste à geada, adaptando-se bem ao clima da ilha. Serve ao corte conjuntamente com o  Sciacarello para a produção de vinho tinto.

Nuragus

A uva branca  Nuragus é cultivada na Sardinha, da qual é produzida o vinho branco Nuragus Amabile DOC e um Frizzante. Essa uva é muito antiga, talvez trazida pelos fenícios. Antigamente era denominada Nuraghi, que são torres de pedra encontradas em muitos lugares da ilha.

Ottavianello

Ottavianello é uva vermelha do sulda Itália. è chamada de Cinsault na França. Dessa uva somente é produzido em Apulia o vinho tinto Ottavianello di Ostuni DOC.

Palomino

A uva branca Palomino serve para a produção de Sherry. Ocupa 90% dos vinhedos em Jerez. Também pode ser encontrado nas ilhas Canárias, como Listán ou como Fransdruif ou White French na África do Sul. Acredita-se que as espécies postuguesas Perrum e  Malvasia Rei sejam a Palomino. Palomino produz vinho branco neutro, com pouco ácido e açúcar, não predominando se misturado. Oxida rapidamente. É ideal para clima seco, pois suscetível à Peronospora. Por isso é ideal para a Espanha de clima seco.

Parellada

A uva branca Parellada  é cultivada principalmente na espanhola Penedès para a produção de Cava. A uva Parellada amadurece tarde e desenvolve baixo teor de álcool, trazendo ácido e estrutura para os Cuvées, complementando a Sauvignon Blanc e a Chardonnay. Os vinhos puros de Parellada são melhores, se consumidos jovens.

Pascale

Pascale é uva vermelha cultivada na Sardinha. Também é chamada  Buonamico, Barberone, Pascale di Cagliari, Pascali di Cagliari e Giacomino. Encontra-se nos vinhos Cannonau di Sardegna DOC e Carignano del Sulcis DOC como uva de corte (mistura).

Pedro Ximénez

Pedro Ximénez é o nome de uma uva branca espanhola de extremo teor de açúcar, servindo à produção de Sherry e Cream Sherry. A região de cultivo é a Andalusia. A uva Pedro Ximénez  é, depois da Palomino, a segunda mais importante para o Sherry. A uva Pedro Giménez da Argentina deve ser da mesma família da Pedro Ximénez.

Petit Verdot

Petit Verdot é uva vermelha que pertence às clássicas Bordeaux. Serve para o corte (mistura) já que sozinha essa uva resulta em vinhos muito ácidos e tanínicos. São exemplos o Château Margaux e o Château Latour, que contêm pequena quantidade de Petit Verdot. Já o  Sine Nomine de Domaine de Lauzières, possui um assemble maior de Petit Verdot e pequena quantidade de Grenache Noir. Até o século XIX, era muito comum na França. A espécie Gros Verdot (em alemão, grosser Grünling) possui menos caráter.

Petite Sirah

Petite Sirah (ou Petite Syrah) é variedade de uva cultivada na Califórnia, da qual não se sabia a origem certa, até que nos anos 90, através de  análise genética, foi constatado tratar-se de uma mistura de Durif, Syrah, Peloursin e até mesmo Pinot Noir. No século XIX, na França, várias espécies eram denominadas Petite Syrah, inclusive uma espécie de pequenos frutos. Uma nova seleção chamada Durif também passou as er chamada Petite Syrah, a qual na verdade, era uma mistura entre  Syrah e Peloursin. Em 1878 teve início o cultivo do Shiraz na Califórnia, denominado Petite Syrah, Petite Shiraz ou Petite Sirah. Seis anos mais tarde, foram importadas as Petite Syrah Durif sob o nome Petite Sirah passando a ser misturadas ao real  Syrah. O resultado foi um vinhedo onde havia até seis espécies de uvas, todas elas chamadas  Petite Sirah.  Hoje a Petite Sirah serve para aludir à Durif, ou seja, o cruzamento entre Syrah/Peloursin. Também pode ser encontrada na América do Sul e México. Os vinhos são robustos, ricos em tanino e muito escuros. A uva serve também como colorante.

Phönix

Phönix é uma uva branca obtida por cruzamento artificial na Alemanha, entre a uva Bacchus e a Seyve-Villard. É resistente aos ataques de insetos e fungos. Também serve como uva de mesa. Seu vinho é amarelo-ouro, maduro, de acidez fresca e leve tom de moscada.

Picpoul

Picpoul é uma uva branca, também chamada de Picpoul Blanc e Piquepoul Blanc. É antiga, sendo citada no século XVII. Antes da praga, a Picpoul era a uva principal da produção de Armagnac. Após, a Ugni Blanco tomou esse papel. Em Languedoc-Roussillon, essa uva vem sendo cada vez mais cultivada, servindo também para o Châteauneuf-du-Pape. Também são conhecidas a Picpoul Gris (cinza) e  Picpoul Noir (tinta).

Pinot Bianco

A uva branca Weissburgunder é conhecida na Itália como Pinot Bianco. É a mais clara das espécies do Burgund.

Pinot Blanc

Pinot Blanc é o nome francês atribuído á Weissburgunder, que vem, mais e mais, concorrendo com o Chardonnay.

Pinot Griccio

Pinot Griccio ou Pinot Grigio é uma uva branca, da qual origienam-se excelentes e fortes vinhos brancos. Na Alemanha e Áustria, essa uva é denominada Grauburgunder ou Ruländer.

Pinot Grigio

Pinot Grigio é a denominação italiana para o Grauburgunder, que é cultivado em Friaul, Emilia-Romagna  e na Lombardia. Pinot Grigio tem muitos sinônimos, que, na maioria, são variantes dessa uva, por exemplo, Rheintraube, Auxerrois Gris, Pinot Gris, Malvasier Grau e Ruländer. Do Pinot Grigio, originam-se vinhos de excelência, encorpados, com caráter e baixa acidez.

Pinot Gris

Pinot Gris é a denominação francesa da uva Grauburgunder. Na Elsácia, essa uva também é denominada Tokay Pinot Gris. Na Itália, é conhecida como Pinot Grigio e, na Alemanha, também é conhecida como Ruländer.

Pinot Meunier

Pinot Meunier é a espécie Schwarzriesling, originado do Spätburgunder. Pinot Meunier existe em Burgund há mais de  400 anos. Não é muito sensível ao solo e ao clima, floresce tarde e amadurece cedo, servindo bem às regiões do norte

Pinot Noir

Quem cultiva Pinot Noir não tem vida fácil, é o que diz o ditado criado por Jancis Robinson em sua obra Curso de Vinho.  O Pinot Noir reage muito ao local onde é cultivado, especialmente em função da casca muito fina, que pode apodrecer rápido e alterar a qualidade do vinho. O cultivo dessa uva permanece ao longo dos anos, apesar das dificuldades, porque os vinhos são aromáticos, com nuances de frutas vermelhas e viola e ainda, ao envelhecer, contém aroma de floresta.  Da Pinot Noir são produzidos vinhos de alta qualidade, servindo até para a produção de Champagner. Um bom Pinot-Noir pode ser armazenado por muito tempo e envelhece bem. As qualidades mais inferiores devem ser consumidas jovens.  Não se sabe a origem certa do Pinot Noir, mas pode ser de Traminer com Schwarzriesling. O Pinot Noir é famoso pela capacidade de mutação, originando dele o  Grauburgunder e o Weissburgunder. Exceto na cor da uva, as três variações praticamente não apresentam diferenças.  A Pinot Noir já era conhecida no século IV no Burgund, havendo registro datado do século XIV. Seu nome se deve à forma de pinha da uva.

Planta Fina

A uva branca Planta Fina é cultivada na Espanha, na região de Valencia e Alicante. Também é conhecida como Damaschino, Alicante, Plant de Languedoc, Beldi, Planta Fina de Pedralba e False Trebbiano. A última denominação leva a crer que essa uva se assemelha à Trebbiano.

Plantet

Plantet é uma espécie de uva vermelha resultante da Seibel 867 e da Seibel 2524. Também é chamada Seibel 5455. Essa uva foi criada, como tantas outras, pelo francês Albert Seibel, no início do século XX. Plantet é resistente à geada e tolerante a fungos. No passado, a Plantet era muito comum no norte da França, mas hoje é quase que somente encontrada no Loire. Na Suíça, há novas tentativas e, nos Estados Unidos, a Plantet é encontrada em quantidade significativa.

Plavac Mali

Plavac Mali é espécie de uva vermelha do sul da Croácia, também conhecida como  Plavac, Plavac Pravi, Rcanak e Sarac.  Os vinhos produzidos da Plavac Mali podem atingir qualidade única. São vinhos escuros, ricos em álcool e tanino, espessos, duráveis, com aroma de frutas vermelhas escuras e cerejas.  Exames em 2001 demosntraram que a Plavac Mali é resultante do cruzamento entre a  Dobricic com a Crljenac. Crljenac é idêntica à Zinfandel.

Portugieser

Blauer Portugieser ou apenas Portugieser são as uvas vermelhas Portuguesas. Na cidade austríaca de Gumpoldskirchen há um registro de que o Freiherr von Fries no ano de 1772 tenha trazido mudas de Portugal para a cidade de Bad Vöslau. A Portugieser encontra-se na Hungria, Eslovênia, Croácia e Alemanha (desde 1840). Em 1846 o austríaco Robert Schlumberger criou o primeiro espumante de Portugieser, como o Blanc de Noirs. Portugieser ocupa hoje na Alemanha e Áustria o terceiro lugar na espécie mais comum. Na Alemanha, ocupa cerca de 50 km² no Pfalz. Muito apreciado é o Weissherbst, um vinho claro, semelhante ao rosé. Só de boas safras podem ser produzidos vinhos. Melhor se apreciados jovens. O buquê possui toque de flores de café, O sabor é leve, de frutas, com acidez refrescante, pouco tanino e às vezes apimentado. Também serve como uva de mesa.

Posip

Posip é uva branca encontrada na Croácia. Durante muito tempo, acreditou-se, erronamente, que essa uva seria a espécie Furmint, da Hungria, que é a mais importante uva do vinho Tokajer. Na Croácia, também é cultivada a Posip Mali.

Primitivo

Primitivo é espécie de uva vermelha cultivada na Apúlia, Itália.  Lembra a Zinfandel. A uva  Plavac Mali na Croácia é da mesma família da Primitivo. Primitivo também é denominada Primativo, Uva di Creta e Primitivo di Gioia. Foi pela primeira vez identificada na cidade de Gioia del Colle, embora a origem deva ser a Hungria. O vinho Primitivo é escuro, forte, picante e contém alto teor de álcool. É misturada a outras uvas. Na Sardinha, produz sem corte excelentes vinhos, os Delinat-Sortiment.

Procanico

As pequenas uvas brancas Procanico são cultivadas na Itália, nas regiões da Toscana, Umbria e Latium. Essa espécie é importante componente dos vinhos brancos Orvieto, Est! Est!! Est!!! di Montefiascone e Elba. Procanico é a variante fina do Trebbiano Toscano, que é um tipo de Trebbiano.

Prosecco

Prosecco é o nome da uva branca da região italiana do Vêneto, onde as condições de solo e clima são ideais. Dessa uva, são produzidos os espumantes Prosecco Spumante e o vinho levemente perolado Prosecco Frizzante. A uva Prosecco amadurece tarde, contendo ácidos importantes para a fabricação dos espumantes. Enquanto a Champagner e os espumantes são produzidos de forma artesanal através do método clássico, o Prosecco utiliza os tanques (Méthode Charmat). Isso faz com que essas pérolas possam ser consumidas de forma mais acessível, o que leva ao sucesso absoluto do Prosecco.

Prugnolo

Prugnolo é uva vermelha originada da Sangiovese. Também é conhecida como Prugnolo Rosso, Pignolo, Tignolo e Uva Canina. É cultivada na Toscana, sendo utilizada para a produção do Vino Nobile di Montepulciano desde o início do século XVIII. A Prugnolo, se comparada à Sangiovese, contém mais tanino. A uva Montepulciano d’Abruzzo não é da mesma família da Prugnolo apesar de confundirem-se.

Fonte: Adega 24

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.